Colombo oficializa chegada de 15 novas empresas com expectativa de geração de 1,2 mil empregos

Iniciando o planejamento da mudança de patamar na economia local, a Prefeitura Municipal de Colombo através da Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, anunciou nestes 100 dias de gestão em ato com autoridades e empresários paranaenses na tarde desta quinta-feira (15), a oficialização da instalação de 15 empresas e geração de aproximadamente 1.200 empregos diretos a população do município. No evento foi realizada a assinatura do protocolo de intenções dos empresários que irão ampliar seus negócios e investir em Colombo.

Prefeito de Colombo, Helder Lazarotto, ao lado do vice-governador Darci Piana (Foto: Divulgação)

Para o prefeito Helder Lazarotto, a chegada de novas empresas marcam o início dos trabalhos para elevar a economia local. “Com todas as dificuldades, em apenas 100 dias de gestão, nosso município já atraiu novas empresas e com isso vai gerar emprego e renda diretamente a população daqui. “Neste momento de pandemia, onde muitas famílias enfrentam dificuldades, oficializar a chegada de novas oportunidades nos enche de esperança e a confiança de que estamos no caminho certo. Com trabalho, mais pessoas garantem o sustento dos seus lares”.

O vice-governador do Paraná, Darci Piana declarou seu apoio ao desenvolvimento de novas ações para a cidade e investimentos em diversos setores. “A chegada de novos empresários e ampliação dos negócios de quem já faz parte do setor empresarial do município é um marco para gestão com oportunidades para as famílias que aqui residem”.

Já o Secretário Estadual da Saúde, Beto Preto destacou que Colombo tem tudo para avançar. “Estamos vendo boas ações administrativas e o investimento de empresários na cidade vai alavancar a economia do município, fazendo de Colombo um município com excelente desenvolvimento econômico”.

O secretário Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Plínio Toniolo Schmidt, ressaltou que a implantação dos novos negócios gera oportunidade e renda para os colombenses. “Com o projeto Colombo + Emprego & Renda vamos trazer esperança e também novas conquistas para cidade, caminhando para atrair mais empresas e investimentos ao município. Ainda temos muito a fazer, mas tenho certeza que estamos no caminho para aquecer a economia local com a chegada de novos investidores”.

Oportunidades

Ao todo 15 empresas estão iniciando a ampliação e investindo em novas instalações na cidade de Colombo. O projeto desenvolvido pela Secretaria de Indústria e Comércio atraiu as seguintes empresas:

– Jandira Alimentos – 120 empregos;
– Max Muffato – 350 empregos;
– Hotel Rural – 50 empregos;
– Indústria Química Bonardi – 90 empregos;
– Sorvetes Vêneto – 30 empregos;
– Iswara Indústria Química – 40 empregos;
– Alvorada Auto Peças – 30 empregos;
– CRV Parafusos – 120 empregos;
– RK Ferramentaria LTDA – 120 empregos;
– Dacla Reboque e Engates – 60 empregos;
– Jallcard Personalização de cartões – 120 empregos;
– LP Frios – 40 empregos;
– JG Transportes – 250 empregos;
– Gim Colombo e Franciscon – estruturando projeto para futuras instalações na cidade.

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Linha metropolitana de Colombo passa a fazer integração na Estação Fagundes Varela

A linha metropolitana B42 Maracanã/Linha Verde vai fazer integração, a partir do próximo sábado (4/9), na estação-tubo Fagundes Varela, inaugurada há pouco mais de um mês no Bairro Alto. Essa é a quarta linha a passar pela estação, que já recebe o novo Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho e os ônibus Hugo Lange e Colina Verde. A estação-tubo Fagundes Varela foi implantada como parte da conclusão de mais uma etapa da Linha Verde Norte.

A novidade vai beneficiar cerca de 3 mil usuários (dias úteis) da linha B42, que liga Colombo a Curitiba. Vai proporcionar integração nos terminais Bairro Alto e Cabral, bem como ao Centro pelo Alto da Rua XV. Além disso, vai possibilitar a integração com o Terminal Pinheirinho, com o Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho. Isso pagando apenas uma passagem.

A ampliação da integração será possível graças a uma parceria entre a Urbanização de Curitiba (Urbs), que administrada o transporte coletivo na capital, e a Coodernação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), responsável pelo transporte metropolitano.

A partir da integração com a Fagundes Varela, o passageiro metropolitano poderá utilizar toda a RIT (Rede Integrada de Transporte).

“Estamos ampliando as oportunidades de integração para mais uma linha metropolitana. Esse é um do ganhos da conclusão de mais uma etapa da Linha Verde Norte, que permitiu a colocação de uma nova estação-tubo e ainda a implantação do novo Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs.

Com a alteração, a linha B42 também passa a ter ponto final na Estação PUC e não mais na Estação Fanny. Nela, será possível integrar com os terminais Portão e Oficinas através da linha 050 Interbairros V.

A B42 opera com cinco veículos com porta em ambos os lados, sendo em rampa do lado esquerdo para atender a estação Fagundes Varela.

Linha Verde

A Linha Verde é o 6º eixo de transporte e de integração viária de Curitiba. Ao todo serão 22 quilômetros de extensão de uma via urbana ao longo do eixo ligando a cidade do Sul ao Norte, desde o Pinheirinho ao Atuba, com estrutura de transporte e urbanização, beneficiando 22 bairros em uma área de abrangência onde vivem perto de 300 mil pessoas. As obras têm o financiamento por parte da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

O Ligeirão FagundesVarela/Pinheirinho, nova linha que iniciou operações em julho e que permitirá integração com a B42 Maracanã/Linha Verde, faz uma ligação inédita entre o Norte e o Sul da cidade pela Linha Verde. O novo Ligeirão permite a integração de 18 linhas pelas estações-tubo, sem contar as conexões que podem ser feitas no Terminal Pinheirinho, o maior da cidade, por onde circulam 46 linhas, sendo quatro metropolitanas.

92% dos municípios do Paraná têm saldo positivo na geração de empregos em 2021

Os números positivos do Paraná na abertura de novos postos de trabalho formais, aqueles com carteira assinada, vão além do recorde alcançado em julho, quando o saldo de 14.492 vagas representou o melhor desempenho para o mês desde 2010. As planilhas do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério do Trabalho e Previdência, revelam que 367 dos 399 municípios paranaenses (92%) fecharam o sétimo mês do ano, dado mais recente disponibilizado, com um número maior de admissões do que demissões – foram 132.328 empregos criados ao longo do ano no período.

Das 32 cidades restantes, 15 encerraram até 10 vagas (47%) e 23 até 20 vagas (72%). Ou seja, desempenho que pode ser facilmente revertido entre agosto e dezembro, período em que há um aquecimento natural da economia com as festas de fim de ano, férias e pagamento do 13º salário. Além disso, com o avanço da vacinação, os diferentes setores econômicos caminham, gradativamente, para a volta à normalidade.

“Uma das prioridades da gestão é avançar da criação de empregos para a população. O Governo do Estado está focado em buscar soluções que aumentem as ocupações e, por consequência, a renda dos paranaenses. Isso ficou claro diante deste cenário tão difícil de pandemia. Mesmo com as atenções voltadas para o combate ao vírus, o Paraná teve saldo positivo em todos os meses de 2021”, destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

As 132.328 novas vagas, quarto melhor resultado do País no ano, refletem o somatório dos meses de janeiro (25.105), fevereiro (41.453), março (10.600), abril (9.773), maio (15.527), junho (15.858) e julho (14.492). Por setores, o desempenho nos 7 meses ficou dividido em indústria (38.165); serviços como informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (28.285); comércio (26.700): construção (16.145); e administração pública (11.891).

“O Estado está investindo em diferentes obras de infraestrutura, em todas as regiões, também como forma de colaborar com a contratação de mão de obra. Os números reforçam a evolução na geração de empregos e apontam para uma evolução contínua nos próximos meses”, comentou Ratinho Junior.

MUNICÍPIOS – Ainda de acordo com o Caged, os municípios com melhor saldo positivo até julho de 2021 foram Curitiba (30.244 vagas), Cascavel (6.690), Maringá (6.316), Londrina (5.411), São José dos Pinhais (4.325), Toledo (3.506), Araucária (3.335), Apucarana (2.263), Ponta Grossa (2.165), Pato Branco (2.033), Umuarama (1.989) e Cambé (1.908).

JULHO – Na quinta-feira (26), o Caged divulgou que o Paraná teve um saldo positivo de 14.492 vagas com carteira assinada em julho, o melhor resultado para este mês desde 2010 – quando o saldo entre admissões e dispensas foi de 12.723. O resultado foi 64% superior ao mesmo mês de 2020, quando foi registrado saldo de 8.833 novas vagas.

O indicador que mais reflete a recuperação de setores atingidos pela crise sanitária é o de comércio e serviços, que foi o responsável pela criação de 10.749 novas vagas em julho, ficando à frente da indústria em geral, que abriu 2.844 postos de trabalho. O setor da construção também obteve um resultado importante, com um saldo positivo de 834 empregos de carteira assinada.

A criação de vagas em julho ocorreu em ritmo mais acelerado nos centros urbanos do Estado, uma vez que os empregos tiveram maior escala no comércio e setor de serviços. Curitiba foi a cidade que mais se destacou, com 4.440 novos empregos; seguida de Maringá com 1.009; Londrina, 859; Cascavel, 720; São José dos Pinhais, 584; Umuarama, 276; Toledo, 201; Apucarana, 148; Campo Largo, 144, e Ponta Grossa, 132.