Cidade no Paraná recorre a equipamentos do zoológico para enfrentar Covid-19

Cascavel é a maior cidade do oeste do Paraná e funciona como polo médico para municípios menores

Com a explosão de casos de Covid-19 e internações pela doença, pacientes em Cascavel, no Paraná, passaram a conviver com improvisos. Foi essa a saída encontrada por gestores para lidar com a alta demanda por leitos de UTI.

Um dos dois hospitais públicos da cidade recorreu a equipamentos usados no zoológico. UPAs (unidades de pronto-atendimento) passaram a intubar pacientes, e em uma das três unidades da cidade a recepção foi transformada em enfermaria.

Cascavel é a maior cidade do oeste do Paraná e funciona como polo médico para municípios menores. A região foi a mais afetada do estado pela alta de casos e internações por Covid-19.

Segundo boletim divulgado nesta quarta-feira (3) pela secretaria estadual de Saúde, 95% dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 estavam ocupados no oeste. A marca se mantém acima dos 90% desde o último dia 20. Em Cascavel, a taxa bate 99%.

Nos últimos dias, médicos das redes pública e privada do município relataram à reportagem cenas de desespero. Entre elas, casos de pacientes idosos que tiveram atendimento recusado por falta de respirador e pacientes intubados em corredores.

Um dos locais no olho do furacão é o Hospital de Retaguarda, municipal. Desde julho do ano passado, passou a receber exclusivamente casos de Covid-19. Com a alta dos últimos dias, abriga hoje 31 pacientes de UTI. A capacidade é para receber até 20.

Para atender a demanda excedente, parte dos pacientes de terapia intensiva está na enfermaria. A enfermaria, por sua vez, foi transferida para uma área que até então era usada como depósito. Com isso, conseguiram tirar as pessoas dos corredores.

Por lá, a situação ficou particularmente calamitosa no último domingo (28). Faltaram equipamentos, e a direção da unidade recorreu ao zoológico, de onde recebeu nove bombas de infusão e um respirador.

“Eu poderia sentar no meio-fio, chorar e reclamar que não tem coisas ou tentar dar um jeito”, diz Lisias de Araujo Tomé, diretor-geral do Hospital de Retaguarda e ex-prefeito da cidade.

Tomé explica que não há diferença entre os equipamentos usados entre humanos e animais e diz que todos são homologados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O empréstimo serve para aliviar a situação enquanto aguardam a entrega de unidades vindas do Ministério da Saúde ou do governo do estado –sem data para acontecer.

Segundo o diretor do hospital, as bombas de infusão, equipamento usado controlar as doses de medicamentos aplicados diretamente na veia, foram usadas na noite de domingo para suprir a emergência. No entanto, elas logo precisaram ser substituídas, porque não são compatíveis com as mangueiras que havia por ali.

O ventilador foi usado em um paciente e agora continua no hospital, aguardando para suprir outra alta na demanda.

A Secretaria da Saúde do Paraná prevê a abertura de 22 novos leitos de UTI em Cascavel nos próximos dias, mas não especifica quando. Desses, dez serão no Hospital de Retaguarda.

Para Tomé, no entanto, a abertura de novos espaços não é o suficiente. Ele reclama de algo comum a outros hospitais da região: a falta de profissionais.

“Tínhamos 14 vagas de UTI. Hoje, temos 31, só que a equipe é a mesma. Não basta aumentar ventilador. Estamos sobrecarregados”, diz.

“Estamos tentando contratar, mas falta mão de obra no mercado. Não tem mais técnico para contratar. Não tem mais médico.”

No último dia 26 o Paraná decretou o fechamento de atividades não essenciais para tentar conter a pandemia. A restrição está marcada para encerrar na próxima segunda-feira (8), mas o secretário de Saúde do estado, Beto Preto, diz que o governo local deve discutir a prorrogação dessas medidas no próximo fim de semana.

Em entrevista à RPC nesta quinta-feira, Preto defendeu medidas restritivas mais rígidas em nível nacional. “Seria importante”, afirmou.
Nesta terça, o Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual entraram com uma ação pedindo à União a transferência de pacientes de Cascavel para outras regiões.

A cidade, que tem cerca de 300 mil habitantes, registrava 24.832 casos de Covid-19 e 343 mortes no boletim divulgado nesta quarta-feira pela prefeitura. Nesta quinta-feira, 6.000 novas doses de vacina chegaram à cidade, que anota 17.719 pessoas que receberam a primeira dose e 5.354 imunizadas com a segunda.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bolsonaro testa negativo para Covid após viagem a Nova York

Após ter sido submetido a um teste, neste domingo (26), para detectar se havia sido reinfectado pela Covid-19, o resultado do exame do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu negativo para a doença. O presidente teve que realizar o teste após alguns membros da sua comitiva para Nova York terem testado positivo para doença. A informação foi confirmada ao Metrópoles.

O ministro da Justiça, Anderson Torres, também testou negativo para a doença. O mandatário da pasta realizou o exame, nesse sábado (25). Neste domingo (26), ele esteve no Palácio da Alvorada para se encontrar com Jair Bolsonaro (sem partido).

Para ler a matéria completa do Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui

RMC terá o maior clube de tiro esportivo do Brasil

Em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, será inaugurado o maior clube de tiro esportivo do Brasil. O Clube de Tiro Drago, aposta em um novo conceito que pretende atender não só os praticantes da modalidade, mas também reunir amigos e famílias.

O local se destaca por sua estrutura que possui ainda restaurante para 150 pessoas, loja, salas de aula para cursos, estande de airsoft, espaço para manutenção de armas de fogo, salão de festas, piscinas com churrasqueira, hostel, estacionamento para dois mil carros e muitas áreas de contato com a natureza.

Por mais de 32 anos o espaço é utilizado em parceria com a Polícia Militar para treinamentos e agora será um atrativo para a população em geral, especialmente aos amantes do tiro esportivo. São três estandes de tiro inicialmente; 300m, que possui 15 baias com mesas para prática do tiro de precisão e conta com lunetas de espotagem e birutas com alvos de 100, 200 e 300m; um coberto com 18m X 18Mm com estrutura que mantém a circulação de ar e a dispersão de ruídos, destinado a armas curtas; e um estande aberto de 35m x 22m, arborizado e com climatização natural, com telheiro e varal de alvos, destinado a armas curtas e longas.

A inauguração acontece no domingo, dia 26 de setembro, à partir das 9 horas com exposição de forças de segurança pública como, COE, TIGRE, BPCHOQUE, RONE, ROCAM, ROTAM e BOMBEIROS.

Às 10h30 iniciam as atividades recreativas como lançamento de machadinha, estande airsoft, estande de realidade virtual, estande de arco e flecha e toda uma área de lazer, No período da tarde haverá competições de tiros nos estandes. O encerramento acontece às 18 horas com a entrega de troféus.

Para utilizar os estandes de tiro é necessária a licença CR, por pelo menos um parente de primeiro grau, concedida pelo exército para caçadores, colecionadores ou atiradores esportivos, filiados em algum clube de tiro.

Cursos

O Drago Clube de tiros vai promover diversos cursos ministrados por uma equipe formada por oito instrutores sêniores, com formações táticas defensivas e esportivas, instrutores de armamento e tiro, certificados nas melhores academias e atuantes na docência. As turmas serão de no máximo 20 alunos maximizando o atendimento individual e buscando a alta performance no aprendizado.

Serão oferecidos cursos voltados para o tiro esportivo e defensivo de Operador de Pistola, Operador de Pistola de Alta performance, Operador de Espingarda, Operador de Carabina/fuzil, Defesa Residencial, Sobrevivência urbana e porte velado, Combate veicular, Tiro de precisão desportivo, IPSC, IDSC, Tiro ao prato e Trigum.

Serviço

Localização: São José dos Pinhais, a 4km da BR 376, estrada de acesso com mais 60% de pavimento, tempo de deslocamento do aeroporto internacional de Curitiba de 20 a 30 minutos