Cervejaria de Curitiba oferece serviço de entrega de chope em casa

Classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como pandemia, a disseminação global do novo coronavírus tem alterado a rotina do brasileiro. Nos últimos dias, milhões de brasileiros aderiram ao afastamento voluntário das atividades sociais afim de evitar aglomerações e retardar o processo de contaminação da doença, o que aumenta a procura por formas alternativas e mais seguras de manter as práticas do dia a dia.

Pensando em oferecer uma solução inteligente para os amantes de cervejas artesanais, a cervejaria Way Beer, uma das grandes referências do mercado nacional, acaba de fortalecer seu serviço de entrega de chope em casa. A bebida disponibilizada pela Way Beer é entregue em Crowlers, embalagens descartáveis comuns nos Estados Unidos, que facilitam a distribuição de chope direto da fábrica.

Com capacidade para 1 litro, os Crowlers são leves, práticos e “inquebráveis”, podendo ser carregados para qualquer lugar e armazenados em refrigeradores e caixas térmicas. Para garantir a qualidade da cerveja, o interior dos Crowlers é revestido com polímero a base de água, não permitindo que metais interfiram nos sabores únicos da cerveja. A cervejaria oferece uma seleção rotativa de cervejas disponíveis para entrega, com valores a partir de R$ 23. Entre os rótulos, estão as principais cervejas de linha da Way Beer e, também, algumas cervejas sazonais, que até então só eram encontradas em eventos especiais. Além disso, semanalmente a cervejaria lança promoções especiais para estimular as vendas.

A entrega de chope da Way Beer engloba toda cidade de Curitiba. Os pedidos podem ser feitos pelo telefone e WhatsApp (41) 9992-0063, sem limite de compra por pessoa, de segunda a quinta, das 10h às 18h, e nas sextas e sábados, das 10h às 20h. Mais informações no site www.waybeer.com.br e nas redes sociais oficiais da cervejaria.

Deixar animais soltos em ruas e praças pode gerar multa de até R$ 2 mil em Curitiba

Projeto de lei que reforça punição à maus-tratos foi aprovado em 1º turno na Câmara Municipal.

Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta quarta-feira (16), por unanimidade e em 1ª discussão, o projeto de lei que, entre outras coisas, estabelece multa de R$ 200 a R$ 2 mil para quem abandonar animais em ruas e espaços públicos. O projeto modifica  modifica lei já existente e amplia as práticas consideradas como crime de maus-tratos a animais.

A proposta da vereadora Katia Dittrich (Solidariedade) lista 24 ações ou omissões como maus-tratos, o dobro do que previa a lei de 2011. Entre os novos comportamentos que caracterizam o crime, o mais significativo é o de abandono.

“Deixar o animal solto em vias e logradouros públicos” como diz o texto do projeto, vai passar a doer no bolso, com multas de até R$ 2 mil no caso de flagrante ou denúncia comprovada. As medidas seguem a linha de projeto semelhante porém ainda mais rigoroso e que prevê responsabilização criminal, aprovado no Senado Federal na semana.

Outros dois pontos polêmicos do projeto são a proibição expressa de ‘passeios’ desacompanhados e abandono de animais idosos ou doentes. No primeiro caso está prevista responsabilização dos tutores com multa, pelo risco do animal sofrer ou causar acidentes, além de permitir uma possível cria indesejada” e no segundo uma característica de agravante ao crime de maus-tratos, pela vulnerabilidade dos bichos.

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado em 2ª discussão para depois ser sancionado ou não pelo prefeito.  Caso seja sancionada, a lei então terá um prazo para regulamentação.

Informações Banda B.

Sérgio Moro recebe carteira da OAB e abre escritório em Curitiba

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência.

O ex-juiz federal que conduziu a Lava Jato e colecionou desafetos entre alguns criminalistas vai atender sua futura clientela em um endereço de Curitiba, base e origem da maior operação já desencadeada no País contra a corrupção.

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência. Levando em consideração a data em que anunciou sua renúncia e acusou o presidente de suposta tentativa de interferência na Polícia Federal, 24 de abril, a quarentena do ex-juiz terminará no fim de outubro.

Informações Banda B.