CBF marca reunião para tratar de retorno de público a estádios

Encontro com times da Série A acontece na próxima quinta

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou na noite desta terça (22) que se reunirá com os clubes da Série A do Brasileiro na próxima quinta (24) para avaliar o retorno do público aos estádios.

Segundo nota emitida pela entidade, o encontro acontece após a CBF receber “parecer favorável do Ministério da Saúde sobre o plano de estudos para o retorno do público aos estádios nas partidas da Série A do Campeonato Brasileiro”.

“A medida prevê a utilização de até 30% da capacidade dos estádios, a partir do mês de outubro, ainda sem data definida, mas condiciona a permissão à avaliação das autoridades sanitárias dos Estados e Municípios onde há clubes participantes da referida competição”, diz a Confederação Brasileira de Futebol.

O encontro, por videoconferência, da CBF com os clubes da Série A acontece na próxima quinta a partir das 16h30 (horário de Brasília). Depois serão feitas consultas com “autoridades estaduais e municipais”.

Informações Agência Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com apenas três vitórias em 13 jogos, Jorginho é demitido do Coritiba

Treinador foi desligado um dia após a derrota para o Ceará por 2 a 1

Coritiba anunciou a demissão do técnico Jorginho. A definição sobre a mudança no departamento de futebol aconteceu em reunião realizada neste domingo (25). Além do treinador, o auxiliar Luiz Iubel e o preparador físico Joelton Urtiga também deixaram o clube.

Jorginho foi contratado pelo Coritiba em agosto após a saída de Eduardo Barroca. Desde então, foram 13 partidas pelo Campeonato Brasileiro, com três vitórias, quatro empates e seis derrotas. O último jogo foi no revés por 2 a 1 para o Ceará, resultado que deixou o Coxa na penúltima colocação.

Sob o comando do auxiliar Welerson e de outros membros da comissão técnica, o Coritiba inicia os treinamentos da semana nesta segunda-feira (26). O próximo jogo será contra o Atlético-GO, no sábado (31), às 19h, no estádio Couto Pereira.

Confira a nota do Coritiba:

O Coritiba Foot Ball Club definiu neste domingo (25) mudanças na Departamento de Futebol para a sequência da temporada. O técnico Jorginho deixa o comando da equipe alviverde após 13 partidas.

Desde a estreia, contra o Sport, a equipe alviverde teve sob o comando de Jorginho um aproveitamento de 33%. Foram três vitórias, quatro empates e seis derrotas.

Jorginho deixa o clube junto com o auxiliar Luiz Iubel e o preparador físico Joelton Urtiga.

O Coritiba agradece aos profissionais pelos serviços prestados ao clube e deseja sucesso na continuidade de suas carreiras.

A equipe se reapresenta amanhã, e o auxiliar técnico Welerson, ao lado da comissão técnica permanente do clube, comandará os primeiros treinos da semana.

Informações Banda B.

Anvisa autoriza importação de 6 milhões de doses da CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira (23) a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

A licença, por enquanto, é apenas para importação do imunizante. A distribuição das doses, ainda sem registro, depende de autorização da própria Anvisa. O pedido de importação em caráter excepcional foi feito pelo Instituto Butantan.

Testes clínicos

A CoronaVac está na terceira fase de testes clínicos. Atualmente, 9.039 voluntários participam dos estudos clínicos da vacina, feitos com profissionais da área da saúde de sete estados. 

Como a Anvisa já havia aprovado a ampliação do estudo para 13 mil voluntários, o governo paulista decidiu ampliar o número de centros de pesquisa. Na fase atual, metade dos participantes recebe a vacina e a outra metade, placebo.

Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, o acordo entre a Sinovac e o Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil.

Eficácia

Para comprovar a eficácia da vacina, é preciso que pelo menos 61 participantes do estudo, que tomaram placebo, sejam contaminados pelo vírus. A partir dessa amostragem, é feita então uma comparação com o total dos que receberam a vacina e, eventualmente, também tiveram diagnóstico positivo da covid-19.

Se o imunizante atingir os índices necessários de eficácia e segurança, será submetido a uma avaliação da Anvisa para registro e só então a vacina estaria liberada para aplicação na população.