Caravana Étnico Cultural celebra povos indígenas

Caravana Étnico Cultural celebra povos indígenas

Além da programação cultural e do acervo permanente de autores indígenas da Fundação Cultural de Curitiba, o Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado nesta terça-feira (9/8), será lembrado na Caravana Étnico Cultural, que estreia no sábado (13/8), com ampla programação na CIC.

O projeto, da Assessoria de Políticas para Promoção da Igualdade Étnico-Racial, passará por todas as dez regionais da cidade e foi elaborado com o objetivo de reforçar as ações afirmativas de negros, indígenas e ciganos.

O Dia Internacional foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1995 como forma de dar mais visibilidade à causa dos povos indígenas e lutar pela defesa de condições dignas para eles – principalmente em relação à cultura, audodeterminação e garantia dos Direitos Humanos.

“Nas ações municipais, procuramos cada vez mais destacar a rica cultura que ao longo de muitos anos foi marginalizada e alvo de preconceitos”, diz Marli Teixeira Leite, titular da assessoria de Igualdade.

Produção cultural

Na Caravana, a cultura e tradição indígenas estarão representadas em duas barracas da Feira de Empreendedorismo. O artesão Suélio Fàg Fy é um dos participantes.

Caingangue morador da aldeia Kakané Porã, no bairro Campo de Santana da capital, Suélio produz um vasto leque de artesanato: maracás, cocares, pulseiras, colares, tiaras, carrancas, cestos, entre outros.

Segundo ele, a produção e exposição dos produtos são formas de manter viva a cultura indígena. “Cada artesanato tem sua história”, diz.

O Pau de Chuva, por exemplo, é um utensílio usado em rituais de chamamento da chuva e de boa colheita, explica Suélio, que nasceu em Curitiba e cuja família tem origem nas tribos caingangue de Manguerinha (no Sul do Estado). O arco-e-flecha é a tradicional arma de caça para os povos indígenas.

“Meus filhos vêem o que eu faço e a história consegue se manter”, completa Suélio, pai de dois filhos e estudante de Educação do Campo na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

O mesmo raciocínio pode ser aplicado para o público em geral que tem contato com seu artesanato, produzido com sua parceira, Camila dos Santos da Silva.

Toda a matéria-prima empregada na produção mantém as origens: cipó, escamas de peixe, conchas marinhas e penas, que ele obtém em bosques próximos de casa, em idas ao litoral ou de fornecedores indígenas de outros estados.

Dependendo do nível de detalhes e da matéria-prima, a produção da semana pode se resumir a duas ou três peças, que ele vende em encontros e pela internet. “A feira [de sábado] vai ser a primeira bem estruturada de que vou participar”, conta.

Respeito e valorização

A criação do Dia Internacional dos Povos Indígenas foi resultado de uma reação dos povos indígenas de várias partes contra ataques sofridos em seus próprios territórios, após mais de 500 anos de a conquista europeia ter imposto formas de opressão durante as ocupações ocorridas pelo Globo – e que em muitos casos resultou em extermínio de povos inteiros.

Em 2006, a ONU aprovou a Declaração das Nações Unidas sobre Direito dos Povos Indígenas, estabelecendo compromissos a serem seguidos pelos Estados signatários.

O artigo primeiro estabelece que os indígenas têm direito, individual ou coletivo, ao “pleno desfrute de todo os diretos humanos e liberdade fundamentais” reconhecidos pela Carta das Nações Unidas.

Na celebração deste ano, o secretário-geral da ONU, o português António Guterres, destacou a importância do papel das mulheres indígenas na transmissão dos conhecimentos tradicionais. Segundo ele, sem a participação das indígenas será impossível alcançar equidade e sustentabilidade previstas na Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimos dias para aproveitar o 6º Festival de Carne de Onça de Curitiba

Termina neste domingo, dia 2, o 6º Festival de Carne de Onça de Curitiba. São 21 bares participantes servindo o petisco a R$ 19 a porção. O evento é um sucesso e tem movimentado os estabelecimentos. Não por acaso, a Carne de Onça é um dos petiscos mais tradicionais da cidade e Patrimônio Cultural Imaterial de Curitiba.

A Carne de Onça lembra três receitas tradicionais muito conhecidas: o Hackepeter alemão, o Steak Tartare francês e o Quibe Cru libanês. Porém, como é servido em Curitiba, é algo próprio da cidade. A iguaria curitibana é feita da seguinte forma: uma fatia de broa preta, coberta com carne bovina moída (normalmente patinho), cebola branca cortada fininha, cebolinha verde picada, temperada com sal, pimenta do reino e regada com bom azeite de oliva extravirgem. No Festival, cada cozinheiro traz sua versão, com temperos e ingredientes que agregam sabores, mas tem tirar a essência do prato.

O 6º Festival de Carne de Onça tem o patrocínio da Gold Food Service, cervejaria Roots, Its BBQ Time e Broa Curitiba Honesta Aquarius. Apoio: Abrasel-PR, Instituto de Turismo de Curitiba, Curta Curitiba e Onça Cerâmica Artesanal.

Participantes

Confira os participantes do 6° Festival de Carne de Onça de Curitiba:

*         A Ostra Bêbada

*         Barbaran

*         Baroneza

*         Bom Scotch

*         Burguer Bar

*         Canabenta

*         Cartolas

*         Charles Burguer

*         Dom Cervantes

*         GastBier

*         Green Gate

*         It´s BBQ Time Curitiba

*         Jabuti

*         Jackson Assados – Quatro Barras

*         Jipe Bar

*         Maia Box – Mercado Municipal

*         O Cachaceiro

*         O Taberneiro

*          Quermesse

*          Silzeus

*         Vila Champagnat

Para conhecer todos as receitas e endereços, basta acessar o site www.curitibahonesta.com.br <http://www.curitibahonesta.com.br> .

Serviço:

6° Festival de Carne de Onça de Curitiba

De 14 de setembro a 2 de outubro de 2022

#festivaldecarnedeonça

Informações: www.curitibahonesta.com.br <http://www.curitibahonesta.com.br>

Instagram @curitibahonesta

Facebook:  https://www.facebook.com/curitibahonesta <https://www.facebook.com/curitibahonesta>

Você já provou o delicioso brunch?

Que o The American Way Cafe & Food tem os melhores sabores de Curitiba você já sabe, mas eis uma novidade: lá também tem brunch! A palavra é uma mistura do inglês, unindo o breakfast (café da manhã) e o lunch (almoço), e os pratos trazem o melhor de cada refeição para uma experiência completa e saborosa. Perfeita para qualquer hora do dia, ela é composta por doces, bebidas e salgados variados, receitas tradicionais que valem muito a pena a visita ao Batel.

Acompanhe o delicioso cardápio: panquecas americanas com calda de sua escolha, bagel com ovo e cream cheese, mais um bagel com rúcula, pastrami e mostarda, um suco fresquinho e um café coado perfeito, que não pode faltar. Deu vontade? Não precisa perder tempo, o The American Way Cafe & Food está aberto de segunda a domingo, pronto para receber você e o seu pet com quitutes saborosos a qualquer momento do dia!