Candidatos a vereador de Curitiba estão recusando Fundo Eleitoral

Há muita discussão em relação ao famoso “Fundo Eleitoral” ou oficialmente chamado de Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). Segundo o Tribunal Superior Eleitoral: “É um fundo público destinado ao financiamento das campanhas eleitorais dos candidatos”. Ele é alimentado com dinheiro do Tesouro Nacional, sendo distribuído aos partidos políticos para que estes possam financiar suas campanhas nas eleições.

Com a criação deste fundo, em 2017, tentou-se equiparar os investimentos em campanha política que eram realizados anteriormente, com doações milionárias de pessoas jurídicas para candidatos – sendo proibida pelo STF em 2015 para evitar a influência do poder econômico na política do Brasil.

Funcionamento:

As regras de distribuição são as seguintes:

I – 2% do valor é dividido entre todos os partidos com registro no TSE
II – 35% é dividido entre os partidos que tenham ao menos um representante na Câmara dos Deputados
III – 48% é distribuído entre os partidos na proporção de suas bancadas na Câmara
IV – 15% é dividido entre os partidos na proporção de suas bancadas no Senado

Em Curitiba:

Candidatos a vereador da cidade vêm recusando este fundo para as suas campanhas. Discursando a favor de reverter esta verba para ações públicas que beneficiem diretamente o cidadão.

Um dos candidatos da capital paranaense, que estão aplicando este tipo de posicionamento, é o Rafael Lopes “Ragulo” do Partido Progressistas. Em sua rede social, publicou um vídeo em que está em frente a sede do partido, demonstrando indignação, discursando ser contra este tipo de financiamento e questionando candidatos que fazem isso. Seu vídeo está viralizando pelo WhatsApp. Veja:

No vídeo ele relata que pediu para que o dinheiro destinado para sua campanha seja revertido para outras áreas.

Esses candidatos a vereador vêm realizando campanhas com menos recursos e totalmente orgânicas, o famoso “boca a boca” de tempos atrás.

Eleições:

Lembrando que as eleições municipais acontecerão no dia 15 de novembro. Então até lá, acompanharemos as movimentações dos candidatos e também suas propostas.

Importante ressaltar que a informação é sua aliada neste momento. Faça sua pesquisa em quem votar. O futuro de nossa cidade depende disso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em novo recorde, eleições municipais têm mais de 545 mil candidatos

O número exato de candidatos que vão disputar vagas de prefeito, vice-prefeito e vereador ainda nem foi fechado pela Justiça Eleitoral, mas já é o a maior desde 2000, quando a votação no país foi 100% eletrônica pela primeira vez. Até as 15h desta segunda-feira (28), o portal lançado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com essas informações, já registrava 545.036 solicitações. O recorde anterior havia sido em 2016, com 496.887 candidatos.

No último sábado (26), terminou o prazo para que partidos políticos e coligações solicitassem à Justiça Eleitoral os registros. Somente interessados em ocupar uma cadeira em uma das Câmaras Municipais do país somam 507.727 inscritos. Na pesquisa por candidatos a comandar prefeituras dos 5.570 municípios são mais 19,1 mil interessados.

Coligações

O fim das coligações para as eleições proporcionais, aprovado pelo Congresso Nacional em 2017, que será aplicada pela primeira vez nas eleições deste ano, é a responsável pelo aumento. A mudança na regra fez com que um candidato que queira disputar como vereador, só possa participar do pleito na chapa única do partido ao qual ele é filiado. Antes, uma chapa tinha candidatos de partidos distintos.

Para aumentar as chances de voto e conseguir cadeiras nas Câmaras Municipais, as legendas estão lançando mais candidatos. É que em uma eleição proporcional, como é para vereador, as vagas são do partido e não do candidato. Na prática, ao votar para em um nome para esse cargo, o eleitor na verdade está escolhendo um integrante daquela legenda. O cálculo de quem vai ocupar a cadeira é feito em cima do quociente eleitoral. Com base nesse cálculo é que cada partido saberá quantos votos serão necessários para conquistar uma vaga.

Data

Por causa da pandemia do novo coronavírus, o calendário eleitoral foi alterado por uma emenda constitucional aprovada pelo Congresso. O primeiro turno foi marcado para o dia15 de novembro. Nos municípios que levarem a disputa às prefeituras para o segundo turno, o pleito será em 29 de novembro. A data da posse dos eleitos continua a mesma, 1º de janeiro.

Paraná ainda precisa de sete mil mesários para eleições municipais de 2020 e TRE faz apelo

Prazo para a nomeação dos eleitores para o pleito termina hoje, mas mesmo com a chegada da data limite ainda será possível realizar as inscrições

O Paraná ainda precisa de sete mil voluntários para chegar ao total de 85 mil necessários para a realização das eleições municipais de 2020. A informação foi confirmada à Banda B, na manhã desta quarta-feira (16), pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), o desembargador Tito Campos de Paula. O prazo para a nomeação dos eleitores para o pleito termina hoje, mas mesmo com a chegada da data limite ainda será possível realizar as inscrições.

Caso o número de eleitores voluntários não chegue a 100%, acontecerá a convocação de eleitores. Cidades como Chopinzinho, São João, Pato Branco, Pitanga, Campo Mourão, Guaraqueçaba e Loanda apresentaram baixa procura por voluntários. De acordo com o presidente do TRE-PR, haverá toda segurança sanitária durante o pleito, marcado para 15 de novembro.

“Foi feito todo um planejamento e estudo neste sentido. Materiais de segurança estão chegando, com álcool em gel individual, máscara e face shild para todos os mesários. Para se inscrever, basta acessar o mesário voluntário no site do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná e realizar o cadastro”, descreveu à Banda B.

Os mesários que trabalham nas eleições têm benefícios como: dispensa do serviço pelo dobro de dias trabalhados como mesário; auxílio-alimentação no valor de R$ 35 por dia de trabalho; crédito em disciplinas de cursos em instituições de ensino superior conveniadas; vantagem de desempate em concursos públicos, se houver previsão em edital e isenção de taxa de inscrição em concursos públicos estaduais.

Além do site do TRE-PRo mesário voluntário pode se cadastrar pelo aplicative-título.

Informações Banda B.