Cadeiras especiais levam acessibilidade à Ilha do Mel

A Ilha do Mel conta com quatro cadeiras anfíbias que permitem acessibilidade às trilhas, além do banho de mar. Os equipamentos que vão atender pessoas com dificuldades de locomoção foram entregues nesta quinta-feira (07) pelo secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Adquiridas pelo Instituto Água e Terra (IAT), as cadeiras vão possibilitar que este público percorra trilhas que não são acessíveis a cadeiras de rodas. Das quatro cadeiras entregues, duas ficarão disponíveis para uso na praia de Encantadas e duas em Brasília.

Nunes destacou que o Estado leva acessibilidade à Ilha do Mel para quem precisa. “As pessoas que têm qualquer tipo de deficiência podem agora vir à Ilha do Mel e vão ter condições de andar nas trilhas e aproveitar a praia, de estar tanto na areia quanto no mar”.

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, aprova a ação. “A acessibilidade na Ilha do Mel é muito importante para que todos possam se divertir, usufruir da areia e do mar”, afirmou.

Foto: AEN PR

RESERVA – O diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto, explica que é preciso reservar as cadeiras antes de fazer a viagem. “O interessado deve ligar para o escritório do IAT da Ilha do Mel e preencher um cadastro. Havendo disponibilidade, ele ficará com a cadeira por todo o período em que estiver hospedado. A cadeira é entregue já no trapiche de embarque”, afirmou.

Durante a temporada de verão, estudantes de turismo contratados pelo IAT e funcionários do órgão estadual são responsáveis pela assistência aos usuários no cadastro e na utilização das cadeiras.

Os interessados em fazer a reserva devem ligar para (41) 3426-8005.


Cuidados são redobrados no embarque à Ilha do Me
l

O secretário Márcio Nunes vistoriou, nos trapiches de embarque em Paranaguá e Pontal do Paraná, o cumprimento das medidas de saúde determinadas na Resolução Conjunta 01/2020 da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do IAT.

Antes de embarcar, todos os usuários (moradores e turistas) devem estar registrados no Cadastro Situr (Sistema de Inteligência Turística de Paranaguá) e portar pulseira de identificação. As pulseiras são vendidas em guichês específicos pelas prefeituras de Pontal do Paraná e de Paranaguá, nos terminais de embarque, com custo instituído pelos municípios.

É obrigatório que os condutores das embarcações, antes de darem a partida, leiam o Protocolo de Conduta do Usuário, produzido pelo IAT, com informações relativas às medidas de proteção ao coronavírus, ao turismo e à segurança de navegação.

O horário de embarque e desembarque de passageiros é das 08h às 18h na baixa temporada e das 07h às 20h durante o verão. É proibido fazer operações de transporte comercial no período noturno.

As embarcações que descumprirem as regras serão notificadas pelos fiscais. As clandestinas, ou seja, sem cadastro, são apreendidas.

A fiscalização é feita pelas prefeituras de Pontal do Paraná e de Paranaguá e as medidas previstas são cumpridas pelas guardas municipais, Patrulha Costeira do 9º Batalhão de Polícia Militar e Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde – BPAmb.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fim de semana ensolarado termina com 31 atendimentos ao mar; adolescente de 15 anos morreu

O fim de semana ensolarado, com temperaturas próximas dos 30°C, levou muita gente ao Litoral do Paraná. Assim, o número de incidentes no mar também foi alto, segundo balanço divulgado pelo Corpo de Bombeiros nesta segunda-feira (29). De acordo com os dados, foram 31 atendimentos, com uma morte na cidade de Guaratuba.

A vítima fatal era moradora de Curitiba e estava com a família no Balneário Nereidas. O Corpo de Bombeiros alerta que a área não era atendida por guarda-vidas.

Em Pontal do Paraná, uma adolescente de 13 anos foi socorrida em estado grave após se afogar. Ela foi encaminhada ao Hospital Regional do Litoral.

Segundo o tenente Malaquias, do Corpo de Bombeiros, é fundamental procurar por lugares seguros ao entrar ao mar. “No Litoral do Paraná temos diversas correntes de retorno, então se ele não conhecer a área e ficar preso ao fundo, a probabilidade de afogamento é grande”, descreve.

Os atendimentos do fim de semana aconteceram em Morretes (2), Pontal do Paraná (7), Matinhos (11), Guaratuba (9) e Ilha do Mel (2).

Informações Banda B

Antonina segue Paranaguá e anuncia não realização do Carnaval 2022

A prefeitura de Antonina – no litoral do Paraná – seguiu Paranaguá e também anunciou a não realização do Carnaval 2022. No município, eram esperadas cerca de 60 mil pessoas para participar do evento, mas, por conta da pandemia de Covid-19, foi anunciado o cancelamento. A postagem foi feita por meio das redes sociais.

Mais cedo, Marcelo Roque, prefeito de Paranaguá, anunciou por meio das redes sociais nesta segunda-feira (29) a não realização do Carnaval em 2022. No Facebook, o prefeito disse que o retorno precisa ser gradual e é o “momento de reflexão e cuidado”.

Com a decisão da prefeitura, Paranaguá se tornou o primeiro município do litoral do estado a anunciar que não realizará o evento no ano que vem por conta da pandemia.


As prefeituras de Matinhos e Guaratuba, também no litoral do Paraná, ainda não se manifestaram no sentido de cancelar o carnaval de 2022.


Cancelamentos em São Paulo


Ao menos, 70 cidades do interior de São Paulo já cancelaram os eventos de Carnaval com medo de uma quarta onde de Covid-19.


Ômicron


Uma nova variante vem preocupando cientistas do mundo inteiro, a ômicron. Ela foi descoberta na África do Sul e apareceu já em alguns países.