Cadeiras especiais levam acessibilidade à Ilha do Mel

A Ilha do Mel conta com quatro cadeiras anfíbias que permitem acessibilidade às trilhas, além do banho de mar. Os equipamentos que vão atender pessoas com dificuldades de locomoção foram entregues nesta quinta-feira (07) pelo secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Adquiridas pelo Instituto Água e Terra (IAT), as cadeiras vão possibilitar que este público percorra trilhas que não são acessíveis a cadeiras de rodas. Das quatro cadeiras entregues, duas ficarão disponíveis para uso na praia de Encantadas e duas em Brasília.

Nunes destacou que o Estado leva acessibilidade à Ilha do Mel para quem precisa. “As pessoas que têm qualquer tipo de deficiência podem agora vir à Ilha do Mel e vão ter condições de andar nas trilhas e aproveitar a praia, de estar tanto na areia quanto no mar”.

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, aprova a ação. “A acessibilidade na Ilha do Mel é muito importante para que todos possam se divertir, usufruir da areia e do mar”, afirmou.

Foto: AEN PR

RESERVA – O diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto, explica que é preciso reservar as cadeiras antes de fazer a viagem. “O interessado deve ligar para o escritório do IAT da Ilha do Mel e preencher um cadastro. Havendo disponibilidade, ele ficará com a cadeira por todo o período em que estiver hospedado. A cadeira é entregue já no trapiche de embarque”, afirmou.

Durante a temporada de verão, estudantes de turismo contratados pelo IAT e funcionários do órgão estadual são responsáveis pela assistência aos usuários no cadastro e na utilização das cadeiras.

Os interessados em fazer a reserva devem ligar para (41) 3426-8005.


Cuidados são redobrados no embarque à Ilha do Me
l

O secretário Márcio Nunes vistoriou, nos trapiches de embarque em Paranaguá e Pontal do Paraná, o cumprimento das medidas de saúde determinadas na Resolução Conjunta 01/2020 da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do IAT.

Antes de embarcar, todos os usuários (moradores e turistas) devem estar registrados no Cadastro Situr (Sistema de Inteligência Turística de Paranaguá) e portar pulseira de identificação. As pulseiras são vendidas em guichês específicos pelas prefeituras de Pontal do Paraná e de Paranaguá, nos terminais de embarque, com custo instituído pelos municípios.

É obrigatório que os condutores das embarcações, antes de darem a partida, leiam o Protocolo de Conduta do Usuário, produzido pelo IAT, com informações relativas às medidas de proteção ao coronavírus, ao turismo e à segurança de navegação.

O horário de embarque e desembarque de passageiros é das 08h às 18h na baixa temporada e das 07h às 20h durante o verão. É proibido fazer operações de transporte comercial no período noturno.

As embarcações que descumprirem as regras serão notificadas pelos fiscais. As clandestinas, ou seja, sem cadastro, são apreendidas.

A fiscalização é feita pelas prefeituras de Pontal do Paraná e de Paranaguá e as medidas previstas são cumpridas pelas guardas municipais, Patrulha Costeira do 9º Batalhão de Polícia Militar e Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde – BPAmb.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Litoral registra mais de 34 mil casos de Covid-19; barreiras serão mantidas no feriado

As cidades do Litoral do Paraná somam mais de 34 mil casos de Covid-19 e 850 óbitos em decorrência da doença. Devido ao agravamento da pandemia e o decreto da bandeira vermelha em Curitiba, serão mantidas as barreiras sanitárias durante o feriado de Corpus Christi (3).

A medida busca fiscalizar e impedir a entrada de turistas nas praias. Em Paranaguá, Pontal do Paraná e Matinhos as barreiras foram instaladas na manhã desta quarta-feira (2). A prefeitura de Guaratuba anunciou que também fará barreiras restritivas e vai restringir as atividades não essenciais.

Requisitos de passagem pelas barreiras:

-Pessoa com residência na cidade mediante a apresentação dos seguintes documentos em seu nome, ou se do esposo (a) apresentar certidão de casamento, ou identidade do filho comum: Fatura de água, luz, telefone, internet, IPTU, matrícula de imóvel, título de eleitor em Guaratuba, documento do veículo registrado em Guaratuba acompanhado de documento com foto.

– Comprovação de vínculo de trabalho no município com Carteira de Trabalho assinada, Ordem de serviço, Chamado para atenção de ocorrências.

Polícia Civil faz operação contra responsáveis por tombamento que deixou 19 mortos em Guaratuba

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está nas ruas, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (25), para cumprir 15 mandados de busca e apreensão contra organização criminosa envolvida no transporte clandestino de passageiros. Os envolvidos estão relacionados ao tombamento de um ônibus de turismo, ocorrido em janeiro na BR-376, em Guaratuba, Litoral do Estado, onde 19 pessoas morreram.

Os mandados estão sendo cumpridos simultaneamente nas cidades de Belém e Ananindeua, no estado do Pará, e em Florianópolis e São José, em Santa Catarina. A ação contou com o apoio das polícias civis dos dois estados.

O laudo pericial, elaborado pela Polícia Científica do Paraná, apontou que o motorista do veículo estava dirigindo em alta velocidade e que o freio estava funcionando parcialmente no momento do acidente. Além disso, a falta de manutenção adequada do veículo foi uma das causas determinantes para o tombamento.

Conforme apurado, as informações constantes na licença de viagem, feita pela empresa responsável pelo transporte e emitida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), não correspondem à realidade. Com base nos fatos, a PCPR constatou que não se tratou de uma viagem sob a modalidade de fretamento turístico ou fretamento eventual, e sim de transporte clandestino de passageiros.

Operação da Polícia Civil nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

As empresas são responsáveis por se associar e agir de forma reiterada, prestando serviço clandestino aos passageiros.

CRIME

Na ocasião, o veículo, que transportava 54 pessoas, colidiu em uma mureta de contenção, na BR-376, tombou e caiu na ponte do Rio da Santa. Dezenove passageiros morreram e os outros ficaram feridos.

A viagem estava sendo feita entre os estados do Pará e Santa Catarina. A maioria dos passageiros buscava oportunidades de emprego no Sul do país.

Vídeo: