Cadeiras especiais garantem acessibilidade na Ilha do Mel

A cadeira anfíbia, com pneus adaptados, facilitou a vida de dona Francisca Alves de Lima, 75 anos, ao visitar a Ilha do Mel, no Litoral do Paraná. A cadeira serve para trilhas em areia e também para banhos de mar.

Com má circulação nas pernas, ela foi a primeira usuária do benefício, disponibilizado pelo Instituto Água e Terra (IAT) desde o dia 7 de janeiro deste ano.

Órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, o IAT adquiriu quatro cadeiras para uso de moradores e veranistas durante todo o ano, mediante cadastro prévio. Ao todo, 15 pessoas utilizaram o equipamento em um mês, a maior parte durante os finais de semana.

“É um sonho realizado conhecer a Ilha do Mel”, disse dona Francisca. Moradora de Ivaiporã, no Norte do Estado, ela estava de férias com a família em Matinhos, também no Litoral, quando resolveu visitar os encantos das áreas de preservação da Ilha. “Essa cadeira me ajudou a andar pelas trilhas e me sinto honrada de ter inaugurado o serviço”.

Para o neto de dona Francisca, Danilo de Lima Frederico, basta pouco esforço para empurrar o equipamento pelas trilhas de areia. “A cadeira é incrível e fácil de empurrar. Conseguimos ir até a beira da praia, que era onde queríamos conhecer”, afirmou.

“Este foi um grande passo para garantir que pessoas com deficiência agora possam andar nas trilhas com areia e usufruir das praias. As cadeiras dão mais qualidade e oferecem acessibilidade para as pessoas que precisam”, disse o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Podem utilizar as cadeiras anfíbias disponibilizadas nas praias de Encantadas e Brasília, todas as pessoas asseguradas pela Lei nº 13.146/2015, que institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência.

Portadora de paralisia cerebral, Gabrielli Schmitti Ferreira da Silva, de 15 anos, utilizou a cadeira no último sábado. A mãe de Gabrieli, Suzana Maria Schmitti Ferreira da Silva, relatou a experiência.

“A cadeira é muito melhor que a de rodas, que não passaria de jeito nenhum nas trilhas. O acesso seria bem mais limitado”, disse. Ela contou que em algumas partes como a Gruta das Encantadas, é difícil de manobrar a cadeira de rodas, devido ao terreno íngreme e com pedras, fruto da característica de preservação que a Ilha do Mel possui.

ÁREAS PRESERVADAS – Cerca de 95% da superfície da ilha constitui uma Estação Ecológica, criada por decreto em 1982. O objetivo é a preservação e reconstituição de manguezais, restingas, brejos litorâneos e caxetais.

Os outros 5% formam o Parque criado em 2002 com o objetivo de reconstituição dos seus ambientes naturais de praia, costões rochosos, importantes remanescentes da Floresta Ombrófila Densa Submontana e de terras baixas associada à Floresta de Restinga, proporcionando a proteção integral da diversidade biológica.

As áreas de preservação possuem como entorno belíssimas praias e atrativos turísticos, como a Fortaleza de Nossa Sra. dos Prazeres, o Morro do Farol e a Gruta das Encantadas, que, ao longo dos anos, transformaram a Ilha do Mel num dos pontos mais visitados por turistas no Paraná.

PARQUES PARANÁ –A disponibilização de cadeiras anfíbias durante todo o ano na Ilha do Mel vem ao encontro do Programa Parques Paraná. O programa visa a valorização do desenvolvimento do turismo de forma sustentável nas Unidades de Conservação (UC) abertas à visitação pública.

A população dispõe de duas cadeiras na praia de Encantadas e outras duas na praia de Brasília. “Por se tratar de área de preservação, não tem acessibilidade em toda a Ilha do Mel, então as cadeiras anfíbias foram alternativas para garantir o acesso a todas as pessoas nessa Unidade de Conservação”, afirmou o diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reunião alinha operação do ferry boat de Guaratuba durante o verão

Representantes do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) participaram nesta terça-feira (21) da primeira reunião para discutir medidas a serem tomadas na travessia da Baía de Guaratuba durante a operação verão deste ano.

O principal objetivo é reforçar a segurança dos usuários durante esse período de maior movimento na travessia, em que, devido ao grande número de turistas e viajantes no Litoral, o tempo de espera para cruzar a baía não pode ultrapassar os 22 minutos.

Pelo mesmo motivo, ficam proibidos veículos com mais de três eixos e/ou superiores a 14 metros de comprimento nas embarcações. Essa integração geral vai ajudar a embasar as operações de fiscalização e controle a partir de dezembro.

Participaram da reunião a equipe de fiscalização do DER/PR, representantes da Prefeitura de Guaratuba, do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) da Polícia Militar do Paraná e da concessionária que opera a travessia.

Outras reuniões serão agendadas futuramente, para continuar a discussão sobre melhorias no serviço ao longo desses meses de maior procura.

Movimento supera expectativa e aquece turismo em Foz do Iguaçu e Litoral no feriadão

O movimento em Foz do Iguaçu e no Litoral, principais destinos turísticos do Paraná, superou as expectativas neste feriado prolongado, alcançando as melhores marcas no ano, equivalentes ao período pré-pandemia. Foz do Iguaçu (Oeste) recebeu mais de 20 mil visitantes de sábado a terça-feira (4 a 7). No Litoral, a estimativa é de que as sete cidades da região tenham recepcionado mais de 150 mil turistas no período.

Nos quatro dias, apenas as Cataratas do Iguaçu atingiram a marca de 19.273 pessoas, número 39% superior à expectativa inicial, com turistas de todas as regiões do País e de 30 diferentes nacionalidades. O complexo da Usina de Itaipu recebeu 7.801 pessoas, superando em 73,3% a previsão inicial de 4,5 mil visitantes.

O secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, destaca que os atrativos do Oeste, como as Cataratas e a Usina de Itaipu, e do Litoral, principalmente a Ilha do Mel, são portas de entradas de turistas de fora para outros atrativos do Estado. “Os turistas de outros estados e países buscam grandes destinos, como Foz e o Litoral. O Estado trabalha para que esses visitantes conheçam outros atrativos ao redor”, afirma.

Entre as ações para conquistar visitantes aos demais atrativos estão o avanço da vacinação contra a Covid-19 e as campanhas de divulgação realizadas pelo Governo do Estado e também pelo Ministério de Turismo e Itaipu. “O aumento de visitantes será ainda mais acentuado no segundo semestre, com o verão, os próximos feriados e os eventos já marcados”, diz Nunes.

O prefeito de Foz, Chico Brasileiro, enfatiza que os turistas foram recebidos com toda a segurança sanitária. “Nos preparamos para isso”, afirma. “Os primeiros números mostram que Foz do Iguaçu já está sendo um destino muito requisitado e esperamos um segundo semestre acima da média do período pré-pandemia”.

LITORAL – De acordo com dados da concessionária Ecovia, cerca de 110 mil veículos passaram pelas cancelas do pedágio na praça da BR-277, rumo ao Litoral do Estado. O prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, destacou o movimento no calçadão, quiosques, Avenida 29 de Abril e nas praças Central e dos Namorados.

Guaratuba, Litoral do Paraná – Foto: Rafael Soveral/Prefeitura de Guaratuba

“Esse eixo forma a grande atração turística da cidade. O parque municipal também foi bastante procurado. O movimento na cidade como um todo foi acima da média e acima do esperado. A cidade esteve movimentada, com bastante reflexo no comércio”, afirma.

O prefeito destacou, também, o trabalho das forças policiais, principalmente com blitzes. “Tivemos ocorrências de pequeno potencial. Foi um trabalho muito sério de fiscalização e de orientação feito pela Polícia Militar. O feriado foi um termômetro, um indicativo para uma excelente temporada de verão”, completa.