Curitiba vira noticia na CNN com o nosso “the good old bus”.

Carros são acessíveis em Curitiba e isso é uma preocupação. Nós queremos converter as pessoas a utilizarem os ônibus e vamos fazer isso como? Priorizando a velocidade – Gustavo Fruet para a CNN

De Curitiba para o mundo! A CNN, edição internacional, está fazendo uma grande materia sobre Cidades do Futuro (“Future Cities”) e tanto Curitiba como nosso saudoso Busão estão sendo tratados como referência em sustentabilidade, planejamento e solução futurística. O atual prefeito, Gustavinho – na intimidade – apresenta as inovações que são implementadas por aqui e como isso tem afetado positivamente a vida dos curitibanos. Segundo Fruet, a preocupação com a quantidade de carros que temos rodando nas ruas exige que a mentalidade de uma nova geração, mais sustentável, seja inserida em Curitiba e que a população será convencida disso vendo a eficácia e velocidade do transporte publico.

 

maior_onibus_do_mundo

Foram muito interessantes – no video e no artigo – os pontos que levantaram sobre o Busão, inclusive comparando ele a um Boeing 787 em relação a quantidade de pessoas embarcadas e como a integração entre terminais e pontos facilita, um pouco, a vida daqueles que precisam fazer mais de 2 conexões para chegar ao seu destino.

OPINIÃO: Nosso transporte está longe de ser perfeito, mas é superior a todo o resto do pais e esse é um ponto que raramente levamos em conta. A super lotação, atrasos e outros defeitos acabam nos cegando para as vantagens que temos. Por agora, o nosso parabéns a Curitiba por ser uma referencia internacional como Cidade Modelo. Esperamos que isso nunca mude.

Material original em: CNN Internacional – Cidades do Futuro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vacinação em Curitiba começa por profissionais da saúde

A enfermeira Silvana Maria Bora, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Boa Vista, foi a primeira moradora de Curitiba a receber a vacina Coronavac, que protege contra a Covid-19.

O ato simbólico que marcou o início da vacinação na cidade foi realizado nesta quarta-feira (20/1), no Centro de Eventos Positivo, no Parque Barigui, chamado pelo prefeito Rafael Greca de “pavilhão da cura”.

 “Nós ainda não temos todas as vacinas, mas a melhor vacina é a que temos”, reforçou o prefeito, durante a cerimônia que marcou o início da imunização na capital. “O otimismo é perfume da vida”.

Nesta quarta-feira, cerca de 250 profissionais da linha de frente serão vacinados, além de idosos que moram em casas de longa permanência, que serão imunizados in loco.

Greca reforçou que a vacina é o principal e único instrumento comprovado de combate efetivo ao novo coronavírus e disse que vai fazer todos os esforços para que Curitiba seja a primeira capital a ter a maior parte de sua população imunizada.

“A vacina é uma vitória da ciência”, afirmou. “A maior obra desta gestão é a saúde pública. Em nenhum outro momento foi investido tanto como investimos na área da saúde.”

Pioneira alerta

A primeira pessoa vacinada é servidora pública há 20 anos. Silvana atua na linha de frente de urgência e emergência desde o começo da pandemia. Ela foi vacinada pela secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, que é enfermeira.

 “Espero que a vacina resolva o problema da pandemia, mas não podemos nos descuidar”, alertou Silvana, que defendeu o uso de máscaras, de álcool em gel para higienização das mãos e o distanciamento social como medidas de prevenção.

O apelo da enfermeira foi reforçado pela secretária. Segundo ela, a vacina vai eliminar a circulação do vírus e ajudar a organismo a preparar defesas, mas os cuidados precisam ser mantidos.

Horário marcado

Márcia Huçulak também advertiu que os moradores de Curitiba não devem ir ao Parque Barigui em busca da vacina nesta primeira fase, voltada aos grupos prioritários: profissionais de saúde, idosos de instituições de longa permanência e seus cuidadores, e indígenas.

“Ninguém deve vir ao Barigui se não for convocado pelo aplicativo Saúde Já”, esclareceu a secretária, que conta com 1,8 milhão de usuários cadastrados no sistema.

O Saúde Já vai emitir o comprovante para os moradores que concordarem com a imunização e forem vacinados. Importante: o sistema permite que usuários vinculem parentes. Isso facilita para a informação chegar a quem ainda não o baixou o aplicativo.

Pioneiros

Outras quatro pessoas receberam, depois de Silvana, a primeira dose da Coronavac na cerimônia – a segunda dose deve ser aplicada dentro de 22 ou 28 dias, como explicou o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Clóvis Arns da Cunha.

“A vacina é muito eficaz para evitar doença grave, ou seja: ninguém vai precisar de hospital, nem morrer de covid”, afirmou o infectologista.

O médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Igor Onaka, um dos vacinados, chegou a ser agredido por um paciente inconformado com a suspeita de coronavírus, em abril de 2020.

“É uma novela que está terminando. Sinto alívio e esperança de que o fim da pandemia está próximo”, comentou Onaka, há 10 anos atuante na urgência e emergência de Curitiba.

A profissional de limpeza Thais Ribeiro Dessanti saiu de seu plantão de trabalho no Hospital Vitória e foi direto receber a vacina no Barigui. Ela trabalha no Vitória desde que a ala clínica para pacientes de covid-19 foi aberta na unidade, em junho do ano passado.

“Fiquei bem emocionada porque eu sei o peso de ser uma das primeiras a tomar a vacina”, disse Thais. “Estou muito feliz”.

Presente à cerimônia, assim como o vice-prefeito Eduardo Pimentel, o secretário estadual da Saúde Beto Preto exaltou os profissionais escolhidos para receber a primeira dose da Coronavac.

“Essas equipes estão trabalhando sem parar há 11 meses e merecem o nosso respeito”, destacou o secretário Beto Preto.

Elizabete Moraes Silva, médica intensivista do Hospital Municipal do Idoso, e Claudia Maria dos Santos, técnica de enfermagem da unidade saúde Capanema, completaram o time de vacinados durante o ato simbólico.

Elizabete é médica intensivista do Hospital do Idoso desde 2012. Ela atuou no Hospital Vitória de junho a dezembro de 2020, exclusivamente no enfrentamento à covid-19. Formada em medicina fez residência médica em nefrologia na USP de Ribeirão Preto.

Já Claudia é técnica de enfermagem da US Capanema. Servidora da rede municipal de saúde há 16 anos, sendo uma referência na comunidade pelo trabalho de vacinação que realiza.

Ônibus bate contra loja de celulares e quatro pessoas ficam feridas no Centro de Curitiba

Acidente aconteceu no cruzamento Rua Alferes Poli com Avenida Sete de Setembro

Quatro pessoas ficaram feridas, no começo da tarde desta quarta-feira (20), após um ônibus do transporte coletivo de Curitiba bater contra uma loja de celulares na região central da cidade. A colisão aconteceu no cruzamento da Rua Alferes Poli com Avenida Sete de Setembro e, de acordo com testemunhas, aconteceu no momento em que o motorista tentava evitar a batida contra um carro.

Segundo o sargento Ernesto, do Corpo de Bombeiros, testemunhas relataram que ambos os veículos seguiam pela Alferes Poli, no sentido Praça Rui Barbosa, quando o carro teria tentado fazer uma conversão à esquerda para Sete de Setembro. “Segundo as informações do local, o carro tentou fazer essa conversão, então para evitar a batida e talvez algo mais grave, o motorista jogou o ônibus para a loja de celulares”, descreveu.

Com o impacto, quatro ocupantes do ônibus ficaram feridos, mas apenas um necessitou de socorro ao pronto-socorro. Os outros três foram atendidos pelo Siate e orientados a procurar ajuda médica em caso de dores.

Durante o atendimento, o trânsito ficou lento na região.

Informações Banda B.