Brasil tem 17º dia de recorde consecutivo na média diária de mortes por covid

A média móvel diária de óbitos pela covid-19 no Brasil bateu recorde pelo 17º dia consecutivo, chegando nesta segunda-feira (15) a 1.855, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Essa média leva em consideração dados dos últimos sete dias para captar a tendência da pandemia, que tem sido de alta recorde ao longo do mês de março no País.

Há 14 dias, no dia 1º de março, a média móvel estava em 1.223. O número atual é 51,6% maior na comparação do período. Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 1.275 novos óbitos pela doença, fazendo o total de vítimas chegar a 279.602. Somente na última semana, o número de vítimas chegou a 12.988, com o agravamento do cenário em diferentes regiões do País, segundo dados reunidos pelo consórcio formado por EstadãoG1O GloboExtraFolha e UOL junto às secretarias estaduais de saúde.

Sob pressão crescente, o presidente Jair Bolsonaro escolheu nesta segunda-feira o médico Marcelo Queiroga como novo ministro da Saúde no lugar do general Eduardo Pazuello, que comandava a pasta desde maio do ano passado. Pazuello sofria críticas também em razão do lento ritmo da campanha de vacinação contra a covid-19 nos Estados. Ele anunciou nesta segunda novos contratos para fornecimento de doses.

Os dados do consórcio apontam 42.446 novos casos confirmados da doença nas últimas 24 horas, totalizando 11.525.477 diagnósticos positivos desde o início da pandemia. Segundo dados do Ministério da Saúde, o País tem 10.111.954 pessoas recuperadas do novo coronavírus, dos quais 1.128.369 seguem em acompanhamento médico.

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trump diz que adora Bolsonaro e elogia ‘trabalho duro’ dele

O ex-presidente americano Donald Trump elogiou o presidente brasileiro Jair Bolsonaro (sem partido) na madrugada deste domingo (12), durante combate entre o pugilista Evander Holyfield e o lutador de MMA brasileiro Vitor Belfort. Trump foi um dos comentaristas do evento, realizado na Flórida (EUA).

“Eu adoro o presidente do Brasil, devo dizer. Ele e seu filho [Eduardo Bolsonaro] são pessoas ótimas, e ele trabalha tão duro, trabalha tão duro, ajudando as pessoas, e espero que ele fique bem”, afirmou o ex-presidente.

O vídeo foi divulgado por Jason Miller, ex-assessor de Trump, na rede social conservador Gettr, criada por ele.

Na semana passada, Miller esteve no Brasil para participar de uma conferência conservadora, e foi questionado pela Polícia Federal durante três horas no inquérito que investiga a possível existência de uma milícia digital.

Jason Miller ao lado de Jair e Eduardo Bolsonaro

O combate terminou com vitória por nocaute do brasileiro sobre o ex-campeão mundial de boxe.

Uber e 99 anunciam reajuste após alta dos combustíveis

Os dois grandes aplicativos de transporte de passageiros do país, Uber e 99, anunciaram na noite de sexta-feira (10) reajuste no valor das corridas.

Os reajustes procuram compensar o aumento do preço dos combustíveis. A alta impactou os serviços de transporte por aplicativo, uma vez que é crescente o número de motoristas que cancela viagens cujo deslocamento não compensa, ou chega a desistir do trabalho.

No caso da Uber, o reajuste será de até 35% para viagens UberX, a categoria mais popular do aplicativo, na região metropolitana de São Paulo. Segundo a empresa, os ganhos dependem do horário e do local em que o motorista atua.

Na 99, o aumento vai de 10% a 25%. Segundo a empresa, a medida visa “equilibrar a plataforma, oferecendo mais ganhos para os parceiros e mantendo a acessibilidade do serviço para os passageiros”. O reajuste vale para mais de 20 regiões metropolitanas, incluindo São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Salvador.

Procurados pela reportagem, Uber e 99 afirmam que a alta demanda por viagens vem se acentuando nas últimas semanas, conforme o avanço da vacinação e a reabertura do comércio em todo o país.

As empresas dizem ainda que os motoristas têm autonomia para escolher quais corridas desejam fazer e, assim como os passageiros, têm a liberdade de cancelar viagens -as companhias, porém, têm um limite de corridas que podem ser canceladas sem ônus tanto para os passageiros quanto para os motoristas.

Por meio da sua assessoria de imprensa, a Uber afirmou que “entende a insatisfação causada pelos impactos [do aumento do preço dos combustíveis] em todo o setor produtivo e, por isso, tem intensificado esforços para ajudar os motoristas parceiros a reduzirem seus gastos”.

Para os motoristas, a empresa também lançou programas de desconto para abastecer o carro e ganhos adicionais para viagens curtas.