Bombeiros alertam para afogamentos no Litoral

Nos primeiros dias do Verão Consciente 2020/2021, mais de 11,7 mil pessoas foram atendidas em ações do Corpo de Bombeiros no litoral do Paraná. Entre os dias 19 e 27 de dezembro, os guarda-vidas, distribuídos em 91 postos de atuação, fizeram mais de 7,2 mil orientações e 3,5 mil advertências com o objetivo de alertar, proteger e orientar o cidadão que mora no Litoral ou está passando férias na região. Neste período, foram registrados quatro óbitos por afogamento e 112 salvamentos (entre ilesos, leves, moderados e graves). Dos óbitos registrados, três ocorreram em Matinhos e um em Guaratuba. Em apenas um caso a vítima chegou a ser socorrida, mas chegou em óbito ao hospital.

“No início desta temporada, tivemos uma melhora no que diz respeito aos salvamentos, ou seja, a maioria (107) corresponde à vítimas que saíram da água ilesas ou com grau de afogamento leve. Já nos últimos dois dias, houve uma gravidade maior, os graus de afogamento aumentaram e tivemos no final de semana duas vítimas fatais”, relata o Comandante do 8º Grupamento de Bombeiros, tenente-coronel Jonas Emanuel Pinto. “Desde o dia 19, tivemos quatro óbitos, sendo todos fora da área protegida por guarda-vidas e, um deles, fora do horário de atendimento dos profissionais, às 20 horas já”, completa.

Os Bombeiros alertam que somente é seguro nadar em locais onde estejam visíveis duas bandeiras, de cor amarela e vermelha, e o posto de guarda vidas, os quais sinalizam a área protegida. “Alertamos a população para que, ao entrar no mar, procure manter sua atenção nos postos de guarda-vidas que podem ser encontrados a partir da sinalização das bandeiras distribuídas pela praia, sempre mantendo cuidado em relação ao banho de mar, pois num momento como agora, mais afogamentos significa pressionar ainda mais as unidades de saúde regionais, as quais já estão operando em capacidade máxima para cuidar dos afetados pela COVID”, alerta o tenente-coronel.

Desde o início da Operação Verão Consciente, ocorreram 112 salvamentos, entre ilesos (97), leves (10), moderados (1) e graves (04). Para a prevenção, o Corpo de Bombeiros atua nas praias com um um efetivo de 782 bombeiros militares e 195 guarda-vidas civis fixos, número este que pode ser versátil dependendo da movimentação das pessoas na costa leste. 

ÁGUA-VIVA – Os acidentes com águas-vivas diminuíram drasticamente em relação a 2019.  Foram 166 casos registrados este ano, contra 668  no ano passado, o que representou queda de 76% nas ocorrências.

AÇÕES DIVERSAS – Nestes primeiros dias, os bombeiros localizaram 67 crianças perdidas, que foram devolvidas aos seus responsáveis, e distribuíram 581 pulserinhas de orientação. No mesmo período, em 2019, foram 76 crianças perdidas, entregues à seus responsáveis, e mais de 1,6 mil pulserinhas distribuídas.

PANDEMIA – A orientação do Corpo de Bombeiros é que população evite aglomerações nas praias devido à pandemia, mantendo o distanciamento. Além disso, deve-se sempre manter a higienização das mãos e o uso de máscaras, que podem ser retiradas apenas para alimentação ou para o banho de mar e, em caso de qualquer sintoma gripal, procurar orientação para o atendimento de saúde.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

IAT identifica mais de 110 hectares de desmatamento ilegal no Litoral

O Instituto Água e Terra (IAT) divulgou nesta terça-feira (3) o balanço de uma força-tarefa realizada na semana de 27 a 31, no Litoral. A ação contou com 16 técnicos dos Escritórios Regionais do Instituto, vinculado à Secretaria estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

Segundo o balanço, os fiscais identificaram mais de 110 hectares de desmatamento ilegal. Foram lavrados 43 Autos de Infração Ambiental (AIA), totalizando R$ 790 mil em multas para os infratores. 

De acordo com o gerente de Monitoramento e Fiscalização do IAT, Álvaro Cesar de Góes, a força-tarefa foi montada a partir de informações obtidas no SIGO e MapBiomas, ferramentas com imagens via satélite que auxiliam na fiscalização do órgão ambiental.

“Decidimos verificar as denúncias feitas pelo cidadão comum, denúncias do sistema SIGO e também de alertas de desmatamento do Sistema MapBiomas, que apontavam irregularidades e diversos crimes ambientais”, disse.

O que mais impressionou os fiscais durante a fiscalização, via terrestre e com apoio da aeronave do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), foi a quantidade de empreendimentos e lotes construídos sem autorização ambiental.

“Deflagramos várias frentes de trabalho de fiscalização da região, com ações integradas, que resultaram em multas por irregularidades em construções de loteamentos clandestinos e florestas. Foi uma operação bem sucedida”, afirmou o chefe regional do IAT em Maringá e coordenador da força-tarefa, Antonio Carlos Cavalheiro Moreto.

LITORAL 

Mais de 50% da vegetação nativa do Estado está no Litoral do Paraná. A região abriga a Grande Reserva Mata Atlântica, o maior remanescente contínuo desse bioma englobando Santa Catarina, Paraná e São Paulo. É também no Litoral que vivem as mais diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção da biodiversidade. 

A chefe regional do IAT em Paranaguá, Rosangela Maria Costa Frega, afirma que a fiscalização foi relevante para coibir a degradação da rica fauna existente na região. “A floresta de Mata Atlântica fica na estreita faixa do Litoral do Paraná e compreende o trecho mais preservado de toda a costa brasileira. Ela abriga uma parcela significativa de diversidade biológica, com espécies que só vivem nesta região. Proteger e conservar a floresta de Mata Atlântica, por sua importância, é necessária e urgente”, afirmou.

O Litoral abriga, também, duas importantes áreas de preservação ambiental sob gestão do Estado: o Parque Estadual do Palmito e o Parque Estadual Ilha do Mel.

Rosangela falou, ainda, sobre a integração e o diálogo entre os profissionais do IAT para realizar forças-tarefas como essa. “Ressalto a disponibilidade dos fiscais que se deslocaram de diversas regiões do Paraná para o Litoral, diante da situação crítica que identificamos na região. São participações dessa que fazem o órgão crescer ainda mais”, afirmou.

Força-tarefa no litoral identifica mais de 100 hectares de desmatamento ilegal – curitiba, 03/08/2021 – Foto: IAT

LICENCIAMENTO 

Todo e qualquer empreendimento e construção de lotes devem ser devidamente licenciados pelo órgão ambiental estadual. Atividades de supressão vegetal sem licenciamento para construção são caracterizados crimes ambientais e passíveis de multas. Para saber como solicitar a licença ambiental por categoria de interesse, basta clicar AQUI.

Caso a atividade de interesse não for encontrada, o órgão ambiental orienta consultar a Resolução CEMA nº 107/2020, a Resolução SEMA nº 051/2009, ou entrar em contato com equipe técnica do IAT no escritório regional mais próximo.

Lobo-marinho é flagrado descansando na praia de Matinhos

Um lobo-marinho apareceu na manhã desta quarta-feira (28), na areia da praia de Matinhos no Litoral do Paraná.

Os moradores da região foram os primeiros a visualizar o animal e avisaram a Guarda Municipal, que isolaram uma parte da praia para avaliação da equipe do Centro de Estudos do Mar (CEM), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Fotos: Almir Alves | Portal Matinhos Agora

Segundo a bióloga Camila Domit, coordenadora do Laboratório de Ecologia e Preservação (@lecufpr) da UFPR, o animal já estava sendo monitorado pelos centros de estudo, após passar pelo Rio Grande do Sul.

O lobo-marinho apresenta boas condições físicas, sem machucados.

Fotos: Almir Alves | Portal Matinhos Agora

Caso você aviste ou registre qualquer animal marinho vivo ou morto nas praias do Paraná, acione o @lecufpr pelo 0800 642 3341 ou 41 9213-8746.