Boletim da Saúde confirma mais 1.436 casos e 106 mortes de Covid-19 no Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (5) 1.436 casos confirmados e 106 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. 

Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 855.047 casos confirmados e 17.288 mortos em decorrência da doença.

Os casos confirmados divulgados nesta data são de abril (1.058), março (327), fevereiro (18) e janeiro (2) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: abril (2), maio (1), julho (2), agosto (1), setembro (1), outubro (1), novembro (11) e dezembro (12).

INTERNADOS – 2.676 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados no Paraná. São 2.081 pacientes em leitos SUS (958 em UTI e 1.123 em leitos clínicos/enfermaria) e 595 em leitos da rede particular (301 em UTI e 294 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 2.592 pacientes internados, sendo 941 em leitos UTI e 1.651 em enfermaria. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A Sesa informa a morte de mais 106 pacientes. São 45 mulheres e 61 homens, com idades que variam de 18 a 89 anos. Um óbito ocorreu em dezembro de 2020 e os demais de 23 de fevereiro a 5 de abril de 2021.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Maringá (12), Palmas (7), Ibiporã (6), Foz do Iguaçu (5), Cambé (4), Jaguariaíva (4), Pato Branco (4), Bela Vista co Paraíso (3), Cascavel (3), União da Vitória (3), Assaí (2), Cornélio Procópio (2), Coronel Domingos Soares (2), Francisco Beltrão (2), Guaratuba (2), Irati (2), Itambé (2), Jaguapitã (2), Jataizinho (2), Santa Izabel do Oeste (2), Santo Antônio da Platina (2), Sapopema (2) e Sarandi (2).

A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Araruna, Astorga, Atalaia, Barracão, Centenário do Sul, Chopinzinho, Clevelândia, Colorado, Coronel Vivida, Cruz Machado, Cruzeiro do Sul, Curitiba, Dois Vizinhos, Doutor Camargo, Flor da Serra do Sul, Honório Serpa, Jandaia do Sul, Mallet, Mandaguari, Mandirituba, Mangueirinha, Nova Santa Barbara, Piraí do Sul, Quedas do Iguaçu, Ramilândia, São João, São Jose dos Pinhais, São Sebastião da Amoreira e Tamarana.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa mostra 5.377 casos de residentes de fora do Paraná – 117 pessoas foram a óbito.

Confira o Informe completo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde distribui 319 mil unidades de medicamentos de kit intubação para hospitais e municípios

A secretaria estadual de Saúde distribui nesta sexta-feira (16) seu maior lote de medicamentos que integram o chamado kit intubação, utilizado para atendimento a pacientes com quadros graves de Covid-19, desde do início da pandemia. Destinados a todas as Regionais de Saúde do Paraná, a remessa totaliza 319.050 ampolas de medicamentos, divididos entre bloqueadores neuromusculares, sedativos e analgésicos.

Parte foi adquirida pelo consórcio Paraná Saúde, que normalmente realiza a compra de medicamentos de atenção básica para 398 municípios do Estado. As aquisições do consórcio somam 110,5 mil unidades, sendo 69 mil de Midazolan e 41,5 mil de Fentanila. Esta foi a primeira compra de medicamentos do kit intubação pelo Paraná Saúde, e é destinada a pacientes de unidades de pronto atendimento (UPAs), hospitais de pequeno porte e prontos-socorros municipais de 137 municípios que atuam no enfrentamento à Covid-19.

Além dos medicamentos adquiridos pelo consórcio, 208.550 unidades de sedativos, analgésicos, bloqueadores neuromusculares e drogas vasoativas serão destinadas aos 59 hospitais que integram o Plano de Contingência da secretaria no combate à pandemia. São 180.615 adquiridos pela secretaria estadual da Saúde e 27.935 unidades repassados pelo Ministério da Saúde por requisição administrativa. As compras totalizam R$ 1.801.291,84, sendo R$ 1.441.254,95 investidos pela secretaria estadual.

“Os medicamentos que estão indo hoje para os hospitais de contingência duram aproximadamente quatro dias, junto dos estoques que eles já possuem. Estamos trabalhando para ter o máximo de tempo possível de consumo médio no estoque dos hospitais”, explicou Nestor Werner Junior, diretor-geral da pasta. “Já os medicamentos que estão indo para os municípios têm uma durabilidade maior, e devem durar em torno de 15 dias. Assim, a gente consegue equilibrar melhor”, disse ele.

VACINAS

Os medicamentos começam a ser distribuídos às 22 Regionais de Saúde do Estado às 14 horas desta sexta-feira (16), juntamente das 363.340 doses do 13º lote de vacinas contra Covid-19 e de 292.800 doses de vacina contra Influenza.

Na vacina contra o coronavírus, a 13ª remessa recebida pelo Ministério da Saúde é composta por 142.800 doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan/Sinovac, e 225.250 doses da Covishield, produzida pela Universidade de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz. São destinadas para a primeira dose de grupos de 60 a 69 anos e profissionais de forças de segurança, além de segundas doses para grupos já vacinados.

Já a vacinação contra a gripe, que tem apenas uma dose, abrange nesta etapa o grupo de gestantes, puérperas, indígenas, trabalhadores de saúde e crianças de seis meses a cinco anos.

“Até recentemente, 77% dos óbitos no Paraná por conta da Covid-19 eram de cidadãos acima de 60 anos. Esse número já baixou para 73%. Hoje, nas nossas UTIs, 55% dos paranaenses internados têm mais de 60 anos. Esse número já foi de quase 80%. Parte disso já é resultado da vacinação. As pessoas podem ficar doentes, mas seus quadros não são mais tão graves devido à imunidade provocada pela vacina”, disse Beto Preto, secretário estadual de Saúde.

Com Corujão, Paraná começa a vacinar população contra a Covid-19 também à noite

O Paraná iniciou nesta quinta-feira (15) a campanha Corujão da Vacinação, que estende o horário de aplicação das vacinas contra a Covid-19 até a meia-noite. A imunização com horário ampliado começou às 19 horas e foi realizada em 12 municípios: Campina Grande do Sul, Colombo, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Morretes, Paranaguá, Pinhais, Piraquara, Pontal do Paraná e Quatro Barras. 

Foto: AEN PR

O chefe da Casa Civil, Guto Silva, e os secretários da Saúde, Beto Preto, e do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega, acompanharam o lançamento da campanha em Piraquara, no Complexo Vila da Cidadania, onde foram vacinados com a primeira dose idosos acima de 64 anos. 

Guto Silva reforçou que o Corujão da Vacinação se soma à campanha Vacina Paraná de Domingo a Domingo para agilizar a imunização no Estado. “O Corujão tem essa finalidade de poder estender o horário para facilitar a vida das pessoas. O Paraná tem pressa e com o apoio de prefeitos, de secretários municipais, montamos uma logística afinada para poder vacinar rapidamente grande parte da população”, disse Guto Silva. 

Para ele, além de dar novo ritmo ao programa de vacinação, o Corujão vai ajudar a reduzir o número de pessoas que deixam de tomar a segunda dose porque não podem ou não têm quem as acompanhe aos locais de vacinação durante o expediente. Dados do Ministério da Saúde divulgados no início da semana dão conta que 1,5 milhão de brasileiros estão nessa situação. 

MAIS VACINAS – Em Piraquara, o chefe da Casa Civil também informou o Governo aguarda para esta quinta a chegada de um novo lote de vacinas enviado pelo Ministério da Saúde, a maior parte destinada a primeiras doses. “Teremos um grande volume para vacinar no sábado e no domingo. O importante é deixar toda a logística ativa, as secretarias municipais prontas para receber e aplicar rapidamente na população do Paraná”, afirmou.  

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, confirmou que estão sendo aguardadas 368.050 vacinas, e que 61% são destinadas à primeira dose. “Em poucas horas vamos receber esse novo lote e amanhã faremos a distribuição para as Regionais de Saúde. Assim que chegarem aos municípios, as vacinas vão rapidamente para os braços dos paranaenses, seja durante a semana, no fim de semana ou à noite”, disse. 

Beto Preto afirmou que a capacidade vacinação do Paraná pode chegar a 200 mil doses por dia. “Temos as salas montadas, equipes municipais, agulhas, seringas. Só precisamos de mais vacinas. Toda a estrutura está pronta para vacinar até 200 mil paranaenses por dia”, afirmou. 

PANDEMIA – Quem também acompanhou o lançamento do Corujão da Vacinação em Piraquara foi o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega, que definiu o Corujão como mais uma resposta do Governo para que o Paraná saia rápido da crise sanitária e da crise econômica causada por ela. 

“É uma medida inovadora do nosso governo, em parceria com as prefeituras, que vai acelerar a vacinação no Estado. E isso é muito importante, porque a vacina é o remédio para a pandemia”, afirmou Ortega. 

De acordo com o Vacinômetro da Secretaria de Estado da Saúde, 1.350.397 paranaenses receberam a primeira dose da vacina até o final da tarde desta quinta, o que representa cerca de 13% da população.  

ALTERNATIVA – Assim como em todas as regiões do Estado, a estratégia de vacinar de domingo a domingo acelerou o calendário de imunização em Piraquara e o prefeito Josimar Fróes acredita que o Corujão terá o mesmo efeito. “Piraquara é uma das cidades que mais avançou nas faixas etárias na Região Metropolitana nos últimos dias”, disse.  

No último domingo, o município começou a atender o público de 64 anos e já projeta alcançar faixas etárias menores na próxima semana, com a chegada de novas doses. 

“É um ato de bravura do Governo criar campanhas que flexibilizam dias e horários, dando mais oportunidade para que as pessoas se vacinem. O que todos buscam é a vacina, que é o respiro da vida nesse momento”, completou.