Bar recebe multa de R$ 100 mil por descumprir regras e gerar aglomerações

O Juízo da Vara Cível de Ortigueira, nos Campos Gerais, condenou um bar da cidade a abster-se de infringir as normas sanitárias para controle da pandemia de Covid-19 e ao pagamento de R$ 100 mil a título de reparação e compensação pelos danos sociais e morais coletivos causados pelo descumprimento das medidas de contenção e prevenção da disseminação do coronavírus. A decisão decorre de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça da comarca.

O estabelecimento havia descumprido mais de uma vez as medidas constantes em decretos estadual e municipal, como a proibição de aglomeração e de venda de bebidas alcoólicas em determinados horários. Ações de fiscalização flagraram grande número de pessoas no local, em diferentes ocasiões, a maioria sem máscara e desrespeitando o distanciamento preventivo. O administrador do bar chegou inclusive a ser condenado criminalmente por infração de medida sanitária.

As reiteradas atitudes de desrespeito aos decretos motivaram o ajuizamento da ação, que inclusive já havia levado a decisão judicial liminar de interrupção das atividades no local, por falta de alvará – decisão depois revogada ante a posterior obtenção do documento.

Por se tratar de sentença de primeira instância, ainda cabe recurso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com ocupação máxima de 50%, aulas presenciais voltam na segunda em Curitiba; conheça o protocolo

As normas e orientações que precisam ser seguidas por estudantes e profissionais da educação, no retorno presencial nas unidades da rede municipal de ensino, estão previstas no Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais, elaborado no ano passado a partir dos estudos e planejamento de um comitê composto por 28 membros de diversos segmentos e validado pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde.

Entre os principais cuidados estão o distanciamento social, o uso de máscaras por crianças e profissionais, aferição de temperatura na entrada e limpeza dos pés em tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, além de horários escalonados para intervalo.

Desde o ano passado, chefes dos Núcleos Regionais da Educação, os diretores e demais profissionais das unidades, além das empresas terceirizadas de limpeza, foram orientados em relação ao protocolo.

A ocupação máxima será de 50% da capacidade, o que varia conforme o tamanho da unidade. Por isso, cada escola e Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) tem um comitê local encarregado de colocar as normas em prática, conforme sua realidade.

Os equipamentos e produtos de limpeza – como tapetes sanitizantes, totens de álcool gel, face shields, máscaras, álcool gel 70% – já foram adquiridos pela Secretaria da Educação e distribuídos às unidades.

Caso algum caso seja confirmado, o grupo será isolado. As decisões são tomadas em conjunto pela Educação e distritos sanitários.

Confira os principais cuidados:

– uso obrigatório de máscara para profissionais e estudantes

– totens e frascos de álcool gel disponíveis

– horários de entrada, saída, refeições e intervalos escalonados para evitar aglomerações

– interdição de bebedouros coletivos

– distanciamento social de 1,5 metro

– desinfecção de mobiliário e materiais em geral com álcool 70%

As dez palavras-chave da nova rotina nas escolas:

1. Acolhimento

2. Uso de máscara

3. Uso de álcool gel

4. Distanciamento

5. Organização dos espaços, limpeza e distanciamento

6. Transporte escolar com monitoramento, limpeza e distanciamento

7. Comitê local de monitoramento

8. Termo de consentimento

9. Kits individuais

10. Ensino híbrido

Dúvidas?

Procure a unidade onde seu filho está matriculado ou os Núcleos Regionais da Educação.

Lobo-marinho é flagrado descansando na praia de Matinhos

Um lobo-marinho apareceu na manhã desta quarta-feira (28), na areia da praia de Matinhos no Litoral do Paraná.

Os moradores da região foram os primeiros a visualizar o animal e avisaram a Guarda Municipal, que isolaram uma parte da praia para avaliação da equipe do Centro de Estudos do Mar (CEM), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Fotos: Almir Alves | Portal Matinhos Agora

Segundo a bióloga Camila Domit, coordenadora do Laboratório de Ecologia e Preservação (@lecufpr) da UFPR, o animal já estava sendo monitorado pelos centros de estudo, após passar pelo Rio Grande do Sul.

O lobo-marinho apresenta boas condições físicas, sem machucados.

Fotos: Almir Alves | Portal Matinhos Agora

Caso você aviste ou registre qualquer animal marinho vivo ou morto nas praias do Paraná, acione o @lecufpr pelo 0800 642 3341 ou 41 9213-8746.