Athletico vai com time alternativo para Montevidéu enfrentar o Peñarol pela Libertadores

Seis jogadores serão poupados para esta partida, Furacão já está classificado para as oitavas de final

Já classificado para as disputas das oitavas de final da Libertadores da América, o Athletico prioriza, agora, o Campeonato Brasileiro. Esta decisão foi confirmada após a divulgação dos relacionados para a partida contra o Peñarol, nesta terça-feira (20), às 21h30, em Montevidéu, no Estádio Campeón del Siglo.

Jogadores embarcaram, por volta das 13h no Aeroporto Afonso pena, no avião com destino ao Uruguai. Quando perguntado sobre se estaria no banco de reservas, comandando a equipe do Furacão, Paulo Autuori se limitou a afirmar que “vocês vão ver, estou muito feliz com o retorno ao Athletico”.

Do onze titular que vem atuando no Brasileirão, Eduardo Barros em conjunto com Paulo Autuori, que deve ficar no banco de reservas, definiram que mais da metade será poupada. A classificação antecipada deu segurança ao Furacão, que prefere agora buscar um resultado positivo no campeonato nacional para sair da zona de rebaixamento.

Com Márcio Azevedo e Jonathan vetados pelo departamento médico por conta de lesão, a lista de titulares que não irão jogar contra os uruguaios é extensa. Thiago Heleno, Pedro Henrique, Abner Vinicius, Wellington, Léo Cittadini e Christian serão poupados para o confronto. Já o atacante Renato Kayzer, não foi inscrito para a competição e por enquanto fica de fora.

Sendo assim, o mistério fica por conta da lateral esquerda, sem Márcio Azevedo e Abner Vinícius, a tendência é um improviso na posição, Khellven que é destro, pode atuar no setor. No meio de campo, Lucho González deverá ser a novidade, na vaga de Léo Cittadini. E para o ataque, sem Kayzer, o Furacão poderá contar com a dupla Geuvânio e Carlos Eduardo, além de um Nikão como avançado ofensivo na direita.

Veja a lista de relacionados

Goleiros: Santos, Jandrei e Anderson;

Defensores: Felipe Aguilar, Lucas Halter e Zé Ivaldo; Léo Gomes e Khellven;

Meio de campo: Bruno Leite, Erick, Fernando Canesin, Jaime Alvarado, Richard e Lucho;

Ofensivos: Carlos Eduardo, Fabinho, Geuvânio, Guilherme Bissoli, Nikão, Pedrinho, Ravanelli e Walter.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas semanas para destinar parte do IRPF para projetos sociais

A GERAR realizará o programa APROVA com os recursos das destinações. Projeto será voltado a jovens com dificuldade de aprendizagem e combaterá evasão escolar

O prazo final para a declaração do IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) é dia 31 de maio. Aqueles que fizerem a declaração nas próximas semanas podem destinar um percentual de até 3% para o FIA (Fundo da Infância e Adolescência) Estadual e, assim, contribuir com diversos projetos sociais, como o APROVA, desenvolvido pela GERAR.

Para isso, o contribuinte que acessa o formulário completo de declaração deve selecionar o fundo para o qual prefere direcionar sua doação. Depois disso, é preciso enviar o comprovante para a entidade (leia mais abaixo).

O APROVA será desenvolvido em 9 municípios e pretende atingir mais de 1 mil jovens. O objetivo do projeto é atender alunos entre 14 a 18 anos da rede pública estadual do Paraná que apresentem dificuldade de aprendizagem. Ou ainda que desejem retomar os estudos e finalizar a educação básica, entrar no ensino superior e potencializar seu desenvolvimento pessoal. Dessa forma, será uma maneira de combater, também, a evasão escolar.

“O APROVA resgatará o jovem para a escola e combaterá a defasagem da aprendizagem. Um dos motivos que mais leva os jovens a abandonarem os estudos é a dificuldade em aprender. O APROVA promoverá a revisão de todos os conteúdos, visando a conclusão do Ensino Médio, a preparação para o Enem e para o vestibular”, afirma a Coordenadora de Novos Projetos da GERAR, Elizete Drevinski.

De acordo com Elizete, trata-se de uma chance de o contribuinte saber exatamente para onde o recurso está indo, sem aumentar em nada aquilo que já é necessário recolher. “Pedimos às pessoas que avisem seus contadores sobre a intenção de destinar recursos ao FIA Estadual e marquem no formulário da Receita a doação para o FIA Estadual”.

Metodologia

A metodologia pedagógica implementada pelo APROVA ofertará aulas onde os conteúdos são apresentados com as realidades e cenários da vida que os justificam, identificando os problemas, os desafios e as questões atuais que precisam ser entendidas para além de memorizar fórmulas, datas e nomes de pessoas.

O projeto terá material apostilado, que contêm todo o conteúdo do ensino médio. A metodologia do material é inovadora e foca na conexão entre os problemas vividos pelos estudantes em suas realidades, com os conteúdos teóricos.

O programa será desenvolvido por uma equipe de professores jovens e especializados, com experiência em ensino médio e em lecionar para pré-vestibulares, tornando a vivência do aluno muito mais dinâmica e especial.

Envie o comprovante

Depois de fazer a declaração, escolher o FIA Estadual é fundamental enviar o comprovante para a entidade que você quer destinar. No caso da GERAR, isso pode ser feito através de uma foto encaminhada para o seguinte WhatsApp (41) 99163-8707 ou pelo email elizete@gerar.org.br. Mais informações na página: https://aprovasocial.webflow.io/

Governo do PR sanciona lei que penaliza atos homofóbicos e racistas nos estádios de futebol

A lei que penaliza torcedores e clubes de futebol cujas torcidas praticarem atos de homofobia e racismo em estádios no Paraná foi sancionada pelo governador Ratinho Junior. O projeto, de autoria do deputado Paulo Litro (PSDB), prevê punição para atos de intolerância racial, étnica, religiosa e de xenofobia.  Uma emenda do deputado Michele Caputo (PSDB) ampliou também a punição para homofobia. A conversão do projeto em lei foi lido nesta terça-feira, 18, na Assembleia Legislativa.

“Propus a emenda com o objetivo de tornar o projeto ainda mais rico e abrangente ao incluir também a punição por atos homofóbicos nos estádios de futebol. São práticas que, infelizmente, ainda acontecem, mas que a partir de agora serão punidas”, conta Caputo. A lei entrou em vigor na última sexta-feira (14), a partir da publicação em Diário Oficial.

Estão sujeitos a sanções os atos praticados dentro dos estádios e em um raio de até cinco quilômetros dos locais dos jogos. As punições incluem advertência, multas e impedimento de benefícios fiscais no âmbito estadual. Para clubes e dirigentes, os valores das multas podem chegar a R$ 112 mil. Para torcedores o valor chega a R$ 22,4 mil, além da proibição de frequentar jogos de um a quatro anos.