Artista formada na UFPR vence prêmio nacional de Artes Visuais com instalação sobre trabalho e pesquisa poética

Érica Storer de Araújo fala sobre relação da pesquisa em Artes
proporcionada pela UFPR com sua trajetória

Érica Storer de Araújo, 28, foi uma das vencedoras do 7º Prêmio EDP nas Artes, com a instalação “Sonhe alto, trabalhe muito, vá longe”, exposta no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. A exposição integra 10 artistas dos 456 inscritos para o prêmio nacional e segue até 10 de janeiro do ano que vem, com protocolos de segurança devido à pandemia de Covid-19. A artista curitibana que ficou entre os três premiados se formou em Artes Visuais pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e já apresentou seus trabalhos em países da Europa.

Instalação premiada “Sonhe alto, trabalhe muito, vá longe” é composta por um recorte suspenso de um escritório. Fotos: Instituto Tomie Ohtake/Divulgação /Divulgação


Érica fala sobre a importância do reconhecimento do público ao artista. Comenta também sobre a relevância que a pesquisa acadêmica em Artes proporcionada pela UFPR teve para sua trajetória, além das inspirações e reflexões propostas por suas instalações e performances.
A instalação premiada “Sonhe alto, trabalhe muito, vá longe” é composta por um recorte suspenso de um escritório, com mesas, cadeiras, prateleira, pequenos armários e um arquivo, além de computadores e outros objetos. Uma abordagem irônica e crítica sobre o fracasso e o sucesso na sociedade neoliberal.

“O título, advindo de expressões motivacionais, ou ainda do que chamamos de coaching, está ligado à promessa da ascensão social por meio do trabalho. Se o desejo da conquista é representado pela escada, alcançar algo elevado, então que esse trabalho esteja lá no alto, mas sem escadas. Por outro lado, há também o desejo pela queda. A materialidade de algo suspenso revela a iminência desse colapso”, detalha.
É a primeira vez que o Prêmio EDP nas Artes não tem ganhadores do eixo Rio de Janeiro/São Paulo, algo que para a artista é muito marcante, uma vez que os assuntos e as urgências passam a ser vistas sob uma perspectiva mais abrangente, sem o foco do principal eixo econômico do país. Para ela, estar no rol de obras selecionadas é motivo de felicidade, mas também de responsabilidade e reflexão.


“Receber um prêmio é ao mesmo tempo recompensador devido ao reconhecimento por um trabalho e engajamento com minha pesquisa poética, considerando o seu alcance nacional, mas também é um momento de pensar sobre esses procedimentos do contexto da arte de seleção e competitividade e como eles têm sido construídos pelas instituições”, argumenta.


Formação e pesquisa
Não é preciso formação acadêmica para ser artista. Porém, Érica afirma que na trajetória dela a experiência universitária foi um diferencial tanto para sua formação técnica e poética como também para a sua aproximação com esferas de promoção à arte e à cultura.

Para Érica, experiência na UFPR foi diferencial para sua formação técnica e poética – na foto, artista faz performance sobre mandíbula em evento internacional na Itália. Foto: Lorenza Cini/Divulgação


“A universidade é o lugar da pesquisa, discussão, extensão e de engajamento artístico e social. Sua função não é movida apenas de interesses poéticos individuais, mas também por um compromisso com a história e sociedade, entendendo e modificando o seu curso”, relata.
No Departamento de Artes (DeArtes) da UFPR, Érica participou de diferentes projetos, como no Centro Acadêmico de Artes Visuais, bolsista no Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) e de iniciação científica, no Museu de Arte da UFPR (MusA), e, por fim, fez intercâmbio na Croácia por meio do programa Erasmus+.

Dentre os temas que pesquisou, Érica realizou relevantes trabalhos que abordavam os eixos temáticos do corpo, o desempenho, o trabalho e o fracasso na sociedade contemporânea. Também participou por três ocasiões do Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba (CUBIC), que é realizado a cada dois anos. Érica também foi uma das homenageadas no aniversário de 105 anos da UFPR, quando diversos membros da comunidade tiveram perfis publicados na página da Universidade.


Todos esses feitos mostram uma trajetória sólida tanto no campo acadêmico quanto no artístico, segundo a professora Stephanie Dahn Batista, do Departamento de DeArtes e vice-diretora do Setor de Artes, Comunicação e Design (Sacod) da UFPR.


“Acompanhei Érica desde o primeiro ano de graduação e acredito que ela teve um proveito muito grande de tudo o que a universidade pública pode oferecer. Ou seja, uma experiência que toma a arte como área de conhecimento específico. Que proporciona o aprendizado de técnicas artísticas, além de pesquisas poéticas com profundo referencial bibliográfico que permitem ao artista se situar, dialogar, referenciar e interagir tanto com o universo artístico quanto com a sociedade”, conta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Segunda unidade do Venice faz sucesso no Champagnat

A mais nova pedida gastronômica do Champagnat já é destaque no bairro. O Venice Carnes & Chopes foi inaugurado no dia 06 de agosto, trazendo uma saborosa opção de bom churrasco. A loja também traz a expansão da marca, criada em 2019. Esta é a segunda unidade do Venice, que fica na Alameda Princesa Izabel (no 1430).

O espaço tem dois pavimentos e área externa, podendo receber 90 pessoas (40 sentadas). Lá, o público pode apreciar os clássicos hambúrgueres e sanduíches preparados na Parrilla, valorizando o sabor típico de churrasco. Destaque para o Sanduíche de Ragu de ossobuco, servido no pão ciabatta com muçarela de búfala e maionese verde.

“Nosso foco sempre foi e sempre será oferecer carnes de altíssima qualidade, preparadas na grelha, em Curitiba. Dos hambúrgueres aos cortes especiais, queremos proporcionar uma experiência gastronômica muito agradável para o nosso público. Tudo isso em um ambiente aconchegante, que tem a nossa cara e a nossa energia. Um bar despretensioso que se torna fascinante pela qualidade de seus produtos e atendimento”, detalha Fernando Souza, um dos sócios fundadores do bar.

O cardápio celebra ainda outras carnes preparadas na grelha, como assado de tira, picanha, pancetta de porco, linguicinha, sobrecoxa de frango desossada e até camarão grelhado. Todos são apresentados com acompanhamentos, entre eles o favorito do público: um chimichurri de receita exclusiva Venice. Aos sábados, é servida feijoada no almoço, com arroz, farofa, couve refogada com bacon, vinagrete e laranja. Para beber, a parceria com a cervejaria artesanal Swamp Brewing garante várias opções de chopes.

O Venice Carnes & Chopes do Champagnat fica na Alameda Princesa Izabel (n° 1430). A casa abre de quarta a sexta, das 17h às 23h; aos sábados, das 11h30 às 23h; e aos domingos, das 15h às 23h. Mais informações sobre o Venice nos perfis oficiais do empreendimento no Facebook (www.facebook.com/venicecarnesechopes) e no Instagram (@venicecarnesechopes).

Raízes Culturais do Paraná é tema do Sunday Funday deste domingo no ParkShoppingBarigüi

As raízes da cultura paranaense são o tema do próximo Sunday Funday que acontece neste domingo, 21 de agosto. O evento é gratuito e aberto ao público. Pratos típicos paranaenses como Pão no Bafo e Barreado estão entre as atrações com muita música, dança, comida, bebida, feira de produtos artesanais e diversas atrações.

O ParkShoppingBarigüi será tomado pelo fogo de chão no estacionamento. Ao som de canções da cultura popular paranaense, o público vai acompanhar preparos de carnes suína, bovina, frutos do mar e outras delícias preparadas na brasa. O fogo fica por conta dos Porcadeiros e da chef Rosane Radecki, comandante do Restaurante Girassol, em Palmeira, e embaixadora gastronômica da cidade. A cultura caiçara será representada com pratos típicos com frutos do mar e apresentações artísticas de fandango. A agenda do dia ainda conta com tenda com brasagem (uma das fases de produção da cerveja) e fabricação de facas artesanais.

Com programação diversificada, o Sunday Funday oferece aulas (inscrições devem ser feitas pelo app Multi), apresentações musicais, dança, atividades esportivas, yoga, feirinha com produtos típicos e artesanais, entre outros.

Feira artesanal e gastronômica

Na feirinha, o público terá a oportunidade de conhecer e comprar outros produtos locais como erva-mate,  pães, geleias, mel, aventais, facas, tábuas e queijos.  Sardinha na brasa, sanduíche de lula, barreado, pão no bafo (unidades limitadas), ostras, bolinho de bacalhau, cafés, doces, cachaças, cervejas artesanais e pasteis são as opções presentes durante todo o dia de evento.

Aulas

A programação traz aulas durante todo o dia. Aulas-show sobre ostras, Pão no Bafo e harmonização de queijos e cerveja precisam de inscrição antecipadamente pelo app Multi, assim como a aula de yoga. Aulas de bike e skate são abertas ao público.Curiosidades

O Pão no Bafo é um prato típico feito com massa de pão cozida no vapor, carne de porco, repolho e cerveja escura e foi tombado como patrimônio cultural imaterial do Paraná. O prato típico pode ser saboreado no Restaurante Girassol, a 80 km da capital paranaense, e já é roteiro obrigatório para quem visita a cidade. Em aula especialmente elaborada para o Sunday Funday, a chef Rosane Radecki ensinará a receita. Os porcadeiros foram os equivalentes aos tropeiros, mas ao invés de levarem gados e mulas, levavam porcos. Esse movimento deu origem a várias cidades paranaenses. Atualmente, os Porcadeiros são conhecidos por entusiastas que se juntam para promover e valorizar a carne suína, especialmente a paranaense Porco Moura. São chefs de cozinha e apoiadores que se reúnem em ocasiões diversas para difundir a carne de porco.

Sunday Funday – Programação completa:

MÚSICA E DANÇA

10h – Musicalização infantil com cantigas tradicionais

12h15 – Música e dança típica caiçara

13h – Samba e MPB

15h30 – Música brasileira e paranaense

ATIVIDADES ESPORTIVAS

11h – Yoga com Yoga no Parque – inscrições antecipadas no app Multi

10h – 16h Aulas de bike

10h – 12h | 14h – 16h Aulas de skate (os participantes deverão levar skate e equipamento de proteção)

AULAS- SHOW GASTRONOMIA  – inscrições antecipadas no app Multi

11h – Tudo sobre ostras (A Ostra Bêbada):  tipos, onde comprar, como abrir ostras e como harmonizar ostras e vinhos

12h30 – Aprenda a fazer o Pão no Bafo (Chef Rosane Radeck)

15h – Harmonização de queijos e cervejas

OUTRAS ATIVIDADES

Feirinha de adoção pet – ONG Fica Comigo e Zeal Petshop

14-16H Dicas de educação pet com Meu Jeito Animal

Serviço:

Sunday Funday -21 de agosto, a partir das 10h

ParkShoppingBarigüi: R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 600 – Mossunguê

Entrada gratuita – em frente ao chafariz.

Inscrições para as aulas-show no app Multi.

Para saber mais sobre a programação, acesse parkshoppingbarigui.com.br ou @parkshoppingbarigui no Instagram.  #sundayfundayPkB