Armazém Colônia lança em Curitiba o Panuozzo, sanduíche que é sucesso na Itália

Já ouviu falar do panuozzo? É um dos pratos preferidos dos moradores da cidade italiana de Nápoles, famosa mundialmente por suas pizzas. Trata-se de um sanduíche preparado com massa de pizza assada na hora e recheado com os mais diversos ingredientes. Pois agora você pode saborear esse sanduíche incrível aqui mesmo, em Curitiba, preparado como na Itália. O Armazém Colônia, primeiro restaurante da cidade a servir as autênticas pizzas napolitanas, acaba de lançar seu cardápio de Panuozzos (pronuncia-se panutzos). 

“Somos pioneiros em Curitiba nas pizzas napolitanas, consideradas Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco. Agora apresentamos o Panuozzo, a comida de rua italiana, prática e bem servida”, explica Mauro Sfair, proprietário do Armazém Colônia. Ele lembra que o sanduíche é muito leve, pois a massa feita no padrão napolitano leva apenas farinha 00, água mineral, sal marinho e levain, sendo de fácil digestão.

Os sabores são fartos e variados, seguindo as receitas das coberturas das pizzas, e incluem opções vegetarianas e veganas. Entre as opções estão o de Pepperoni (molho, mozzarella, parmesão e pepperoni), Zucchine (molho, mozzarella, gorgonzola, abobrinha, alho poró e tomate cereja), Quatro Queijos com Blumenau (mozzarella, parmesão, provolone, gorgonzola e linguiça blumenau),   da Casa (mozzarella, abobrinha, tomate, linguiça blumenau, provolone e orégano) e nas versões doces, Nutella com morango e Banana com doce de leite. A pedido do cliente, o queijo animal pode ser substituído por queijo vegano.  Os preços variam de R$ 22 a R$ 30.

O cardápio de Panuozzos está disponível também na hora do almoço, como as pizzas, no restaurante ou por delivery. ”Na Itália não existe hora para comer pizzas e panuozzos”, lembra Sfair. O restaurante atende das 9h às 23h, de segunda a sábado. Aos domingos e feriados, das 16h30 às 23h. 

Sobre o Armazém Colônia

O Armazém Colônia Forneria e Pizzaria surgiu em 1996, como uma pequena mercearia.   Em 2015, o curitibano Mauro Sfair adquiriu o restaurante e, após ampla pesquisa de mercado, resolveu abrir em período integral como pizzaria napolitana. Neste período de pandemia, mantém um buffet de segunda a sábado em versão reduzida, porém pizzas e panuozzos o dia todo são o foco da casa, que em breve vai estrear um novo endereço. 

Alheia aos modismos, a casa oferece um serviço familiar e artesanal. Mauro Sfair é jornalista e advogado, morou em vários lugares, atuou por muitos anos em jornais de Curitiba, Cascavel, Porto Velho (Rondônia) mas acabou voltando-se para o ramo gastronômico. Aprendeu sobre as pizzas de Nápoles com um dos pizzaiolos mais famosos do mundo, Jaqueson Dischoff, que lhe apresentou a longa fermentação natural e seus benefícios para a saúde, sabores, digestibilidade e muitos segredos para se fazer a verdadeira pizza napolitana. “Antes da pandemia, fui a Nápoles onde, com a indicação do mestre Jaqueson, conheci os mais antigos e melhores pizzaiolos do planeta, e de onde voltei empolgado e mais preparado para fazer as pizzas napolitanas – e os panuozzos”, conta Mauro. Foi assim que nasceu o novo prato do Armazém Colônia. 

Serviço:

Armazém Colônia

Av. Vicente Machado, 1168 – Batel 

Delivery: Rappi, ifood, ubereats, 99food

Pedidos diretos: (41) 3024 3737 e 3024 3631

Instagram: @armazem.colonia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

“O Tesouro do Pirata Zulmiro”: espetáculo circense com estreia em janeiro revive lenda curitibana

A montagem, que traz a lenda do Pirata Zulmiro como pano de fundo, também é uma homenagem ao artista idealizador do projeto, Marcos Gabriel Freitas (Palhaço Fidalgo), que faleceu em agosto de 2020. Ao todo, serão oito apresentações online e gratuitas para toda a família assistir no YouTube entre os dias 27 de janeiro e 06 de fevereiro

Entre os dias 27 de janeiro e 06 de fevereiro, de quinta a domingo, sempre às 20h, os curitibanos de todas as idades têm a oportunidade de assistir gratuitamente e online o espetáculo “O Tesouro do Pirata Zulmiro”, que, por meio de números circenses, parte da lenda que permeia o imaginário da cidade de Curitiba, para contar essa história. As exibições são feitas diretamente no canal do YouTube do diretor e dramaturgo do projeto, Silvestre Neto, o Palhaço Macaxeira youtube.com/SilverNeto.

“O Tesouro do Pirata Zulmiro”, foi idealizado pelo artista Marcos Gabriel Freitas — o Palhaço Fidalgo —, e complementado pelo artista Silvestre Neto. Após o falecimento de Fidalgo em agosto de 2020, a obra foi adaptada pela equipe, que está realizando o espetáculo em homenagem à vida e obra do Palhaço Fidalgo.

A obra foi gravada nas dependências do Circo da Cidade, no Boqueirão, e explora a saga do Pirata Zulmiro, um personagem do folclore curitibano, para conseguir abrir o baú que carrega consigo. Em um universo delirante, Zulmiro precisa passar por provações para descobrir de quais maneiras as riquezas dele podem ser reveladas. Buscando ajuda em uma lona circense, ele e Heraldo, seu fiel escudeiro, desvendam os mistérios do picadeiro de uma forma inusitada. Diversão garantida para toda a família.

Foto: Lidia Ueta

Além das oito apresentações, o projeto conta, ainda, com a realização de um bate-papo da equipe com o público para compartilhar o processo de criação e refletir sobre os caminhos da linguagem circense no ambiente audiovisual. A live acontece no dia 27 de janeiro, às 21h, logo após a estreia da peça, também no canal do YouTube.

O espetáculo tem dramaturgia e direção de Silvestre Neto, e o elenco conta com a participação de artistas relevantes do cenário circense curitibano: Camila Cequinel, Denis Mariano, Mago Niko e o próprio Silvestre Neto.

A estreia, inicialmente prevista para acontecer de forma presencial em março de 2020, como parte da programação do Circo da Cidade, precisou ser adiada por conta da pandemia causada pelo coronavírus e, posteriormente, pelo falecimento de Marcos.

O roteirista, diretor e parceiro de criação, Silvestre Neto, comenta que a realização do espetáculo é uma forma de homenagear o amigo. “O Marcos era um buscador. Tinha certeza sobre sua missão e assim o fazia com sua arte, buscando sempre se aprimorar. Era impressionante a sagacidade e o ímpeto dele em procurar compreender suas dificuldades com o único intuito de ser um artista mais completo. Nos ensaios que foram paralisados ele estava mostrando o quanto estava pronto para levar ao máximo essa forma de pensar”, diz. “Para mim e o elenco, todos amigos dele, o espetáculo foi criado de forma muito emocionante, com o coração nas atuações. Faço com a intenção de registrar o legado desse artista impressionante e homem fora do comum”, reforça Silvestre.

Marcos Gabriel Freiras nasceu em 1981, no município de Faxinal, a 300 km de Curitiba. Se mudou para a capital aos 9 anos de idade, para tratar problemas de saúde. Dos 38 anos que viveu, 16 foram dedicados ao teatro e à palhaçaria. Em meados de 2010, criou o bufão Fidalgo Filho de Algo — o Palhaço Fidalgo —, personagem que interpretou em diversos espetáculos locais e nacionais. Sempre com humor e irreverência, abordava temas como religião e política. Marcos faleceu em agosto de 2020, por complicações causadas pela COVID-19. Ele deixou a esposa, Letícia Lopes Freitas, com quem vivia há 13 anos.

O projeto foi aprovado no edital de Difusão e Formação em Circo, promovido pela Fundação Cultural de Curitiba.

SERVIÇO:

O TESOURO DO PIRATA ZULMIRO
Classificação indicativa: Livre

Exibições gratuitas de 27 de janeiro a 06 de fevereiro

Quintas, sextas, sábados e domingos, sempre às 20h

Via YouTube youtube.com/SilverNeto 

LIVE – Processo de Criação do espetáculo O TESOURO DO PIRATA ZULMIRO

Um bate papo sobre o processo criativo do espetáculo, refletindo sobre os caminhos da linguagem circense para o ambiente audiovisual

Dia: 27 de janeiro

Horário: 21h (após a exibição de estreia do espetáculo)

Via Youtube youtube.com/SilverNeto 

FICHA TÉCNICA

Roteiro e Direção: Silvestre Neto

Elenco: Camila Cequinel, Denis Mariano, Mago Niko, Silvestre Neto

Iluminação: Wagner Correa

Técnico de iluminação (montagem): Well Daum

Cenário e Figurino: Levi Brandão

Costureira: Nair Scheffler

Trilha Sonora: Denis Mariano

Gravação: Paulo Rosa e Lídia Ueta

Edição: Silvestre Neto

Técnico de Som: Karina Scariott

Transmissões das ações: Paulo Rosa

Fotos: Lidia Ueta

Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Platea Comunicação e Arte

Designer Gráfico: bialopse 

Diretor de Produção: Marianinho Produções (Edran Mariano)

Realização: Silvestre Neto

Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Festival da Carne de Onça vai agitar Curitiba

O Bar Quermesse, um dos mais tradicionais da capital paranaense, vai oferecer versões especiais do clássico preparo curitibano por apenas R$ 20

É impossível falar da gastronomia curitibana sem pensar na tradicional Carne de Onça, patrimônio cultural da cidade. Indispensável no cardápio de centenas de bares da capital paranaense, a receita tradicional é preparada com carne bovina magra (sem nervo ou gordura), sem tempero, servida com broa preta, pimenta do reino, sal, azeite de oliva extravirgem, cebola branca, cebolinha e pimenta do reino.

Para celebrar esta iguaria tão especial, o Bar Quermesse, um dos endereços gastronômicos mais badalados de Curitiba, famoso por seu trabalho com culinária regional e comida de boteco, vai promover, entre os dias 25 e 30 de janeiro, o seu já tradicional Festival da Carne de Onça. Durante o evento, o público poderá saborear receitas exclusivas do preparo que serão comercializadas pelo preço fixo de R$ 20.

Durante o evento, serão apresentadas opções especiais do preparo, entre elas a carne de onça tradicional servida na broa preta, a carne de onça japonesa e carne de onça na massa crocante de pastel. Outro grande destaque do evento ficará por conta do delicioso e criativo canudinho de carne de onça, receita que une o conhecido canudinho de maionese, servido em festas de aniversário, com a saborosa iguaria curitibanaNa releitura, a carne de onça ganha ainda mais sabor com o delicioso e crocante canudinho.

Bar Quermesse fica na Rua Carlos Pioli, (nº 513), no bairro Bom Retiro, e funciona de terça a sexta, das 17h às 01h, e aos sábados e domingos, das 11h30 às 01h. O Festival da Carne de Onça será realizado entre os dias 25 e 30 de janeiro. Mais informações no site www.quermesse.com.br ou pelo telefone (41) 3026-6676.