Argentina aplicará vacina na população ainda neste ano

A Sputnik V começou a ser aplicada nos russos na semana passada

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, disse na quinta-feira, 10, que fechou um acordo com a Rússia para fornecimento da vacina Sputnik V. Ele garantiu que a vacinação no país começa ainda neste ano e afirmou que será o primeiro a tomar uma dose. “O instituto onde foi desenvolvido tem vários prêmios Nobel”, disse. “Serei o primeiro a tomar, porque não duvido da qualidade da vacina. Vou ser imunizado antes para que ninguém tenha medo.”

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, disse na quinta-feira, 10, que fechou um acordo com a Rússia para fornecimento da vacina Sputnik V. Ele garantiu que a vacinação no país começa ainda neste ano e afirmou que será o primeiro a tomar uma dose. “O instituto onde foi desenvolvido tem vários prêmios Nobel”, disse. “Serei o primeiro a tomar, porque não duvido da qualidade da vacina. Vou ser imunizado antes para que ninguém tenha medo.”

Segundo Fernández, o contrato com o governo russo inclui a aquisição de doses suficientes para vacinar, entre janeiro e fevereiro, pelo menos 10 milhões de argentinos, com uma primeira remessa, de cerca de 600 mil doses, que imunizará 300 mil pessoas antes do fim do ano. A Argentina tem cerca de 44 milhões de habitantes. “Em janeiro, teremos doses para vacinar 5 milhões pessoas e, em fevereiro, o restante das doses necessárias serão concluídas para a vacinação das 10 milhões de pessoas que antecipamos.”.

O acordo com os russos para o fornecimento de vacinas é o terceiro fechado pela Argentina até agora, depois dos que foram firmados com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford e outro com o Covax, um mecanismo da ONU cujo objetivo é garantir o acesso global equitativo aos imunizantes.

Uma das particularidades do contrato com a Rússia é que ele contém uma cláusula favorável à Argentina para ter mais 10 milhões de doses em março, caso as demais vacinas atrasem. Segundo ministro da Saúde da Argentina, Ginés González García, os russos foram os únicos que ofereceram segurança contratual quanto à entrega das doses em tempo hábil.

Fernández reconheceu que a logística para a distribuição da vacina “será complicada” pelo enorme número de doses e porque elas virão de países muito distantes – primeiro da Rússia e depois de outros centros de produção, na Coreia do Sul, Índia e Bangladesh.

O presidente argentino lembrou ainda que a documentação sobre a vacina russa chegou há muito tempo à Administração Nacional de Medicamentos, Alimentos e Tecnologia Médica (ANMAT) e afirmou que o governo está “organizando tudo o que é necessário para que tenha a aprovação” do órgão. Segundo Fernández funcionários do governo e da agência viajarão para a Rússia na próxima semana para observar as condições de produção e qualidade da vacina e “tirar todas as dúvidas que devem ser levantadas sobre produção e qualidade”.

A ideia é que, com a viagem, os técnicos da ANMAT consigam ter informações suficientes para aprovar a vacina de forma emergencial, informou ontem o jornal Clarín. De acordo com a publicação, a agência indica que, nesses casos, as vacinas “podem ser autorizadas de acordo com procedimento específico para avaliar as condições de risco e benefício”.

O presidente argentino expressou ontem gratidão aos russos pela forma rápida como a negociação foi conduzida. Ele também dedicou um agradecimento especial ao presidente russo, Vladimir Putin, “porque ele se ocupou pessoalmente em ajudar isso acontecer”.

“Ter um contrato que nos diz exatamente em que prazos a vacina chega à Argentina é uma grande tranquilidade e algo pelo qual o governo tem trabalhado duro, para garantir o imunizante para aqueles que mais precisam, minimizar as condições de letalidade e dar um passo importante para a imunidade de rebanho”, disse.

Na Argentina, os primeiros a receber a vacina serão profissionais da saúde, militares, forças de segurança, professores, pessoas com mais de 60 anos e entre 18 e 60 que têm “doenças preexistentes” – cerca de 13 milhões de argentinos no total. A partir de março, o governo terá um calendário de vacinação, que continuará ao longo do ano, para que todos que quiserem consigam ser vacinados.

Segundo os desenvolvedores, a Sputnik V tem 95% de eficácia. Na Rússia, ela começou a ser aplicada no dia 5 de dezembro a profissionais de saúde, idosos e professores. Muitos russos, no entanto, desconfiam da qualidade do produto. Especialistas também expressam ceticismo sobre o nível de sua eficácia. O ministro da Saúde da Turquia, Fahrettin Koca, por exemplo, disse que o país não comprará a vacina por “faltar com boas práticas laboratoriais”.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba divulga novo cronograma de vacinação das crianças contra a covid-19

Com a chega de nova remessa de imunizantes pediátricos, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba amplia a vacinação contra a covid-19 para as crianças. Confira o cronograma para os próximos dias.

A vacinação das crianças seguirá de forma escalonada por data de nascimento. Entre quarta (26/1) e sexta-feira (28/1) poderão receber a primeira aplicação as crianças nascidas nos anos de 2012, 2013 e 2014 (veja o cronograma abaixo).

O atendimento para as crianças seguirá em dez Unidades de Saúde exclusivas, das 8 às 17 horas. Confira os endereços no site Imuniza Já na aba “Locais de vacinação”. 

Também poderão receber a primeira aplicação as crianças que já foram convocadas e não puderam comparecer na data. 

A ampliação para demais faixas etárias depende da avaliação de estoque ou da chegada de nova remessa de imunizantes pediátricos.

Orientação para a vacinação

A SMS orienta para que os responsáveis façam o cadastro prévio da criança no Aplicativo Saúde Já, essa ação agiliza o fluxo da vacinação. Crianças acompanhadas pelo SUS de Curitiba já estão cadastradas. 

No dia da vacinação é necessário que a criança esteja acompanhada de um familiar ou responsável para a assinatura do termo de consentimento.

Também deverá ser apresentado documento de identificação e CPF da criança, documento de identificação com foto e comprovante de residência em nome do responsável pela criança. 

As orientações detalhadas e a relação das comorbidades pode ser conferida no “Pequeno Manual para vacinação das crianças de 5 a 11 anos em Curitiba”.

Crianças acamadas

Equipes de vacinadores continuam fazendo em paralelo a vacinação das crianças acamadas, mediante agendamento. As crianças acamadas em leitos atendidas pelo SUS Curitibano terão sua dose agendada a partir de um contato telefônico das equipes da SMS. 

Aquelas que são atendidas pela rede privada devem fazer o cadastro, disponível desde o dia 13 de janeiro, via Aplicativo Saúde Já Curitiba – é necessário atualizar a versão do aplicativo nas lojas virtuais para plataformas Android ou iOS – ou pelo site.

Após baixar a atualização nas lojas de aplicativos para Android ou iOS – ou pelo site, escolhendo a opção “Paciente Acamado”.  

Recomendações

A vacina contra a covid-19 para crianças não deve ser aplicada de forma simultânea com imunizantes para outras doenças, a recomendação é de que seja dado um intervalo de 15 dias.

Crianças que testaram positivo para a doença também devem aguardar os intervalos para receber o imunizante, que nesse caso é de 30 dias após a data de início dos sintomas.

A vacinação das crianças com 5 anos e das imunossuprimidas de qualquer idade deve ser feita exclusivamente com o imunizante pediátrico da Pfizer, conforme recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa.

Após a liberação da Anvisa, o Ministério da Saúde incluiu na última sexta-feira (21/1) a Coronavac na campanha de vacinação contra a Covid-19 para a faixa etária de 6 a 17 anos

Cronograma de vacinação das crianças

•    26/1 (quarta-feira) – Todas as crianças nascidas em 2012;
•    27/1 (quinta-feira) – Todas as crianças nascidas em 2013;
•    28/1 (Sexta-feira) – Todas as crianças nascidas em 2014.

Saúde orienta como consultar a convocação para a dose de reforço no Saúde Já

O Aplicativo Saúde Já se tornou a principal ferramenta de informação e registro da vacinação contra a covid-19 para os moradores de Curitiba. É lá que a população está sendo comunicada sobre a data para receber a dose de reforço.

Diferente da segunda dose, a data para a dose de reforço não consta na aba “próximas vacinas” da carteira digital, pois trata-se de uma dose extra, além do calendário primário. 

A convocação com a data da aplicação é enviada por mensagem, pessoas que não têm a função de notificação ativadas dentro do aplicativo, não recebem os alertas quando chegam novas mensagens, por isso é preciso estar atento e consultar sempre o Saúde Já. 

São enviadas para o aplicativo as mensagens de aviso de novas doses para o titular do cadastro e para todos os seus dependentes cadastrados. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) ensina o caminho para consultar se você já foi convocado basta seguir o passo a passo: 

1)    Fazer login no Aplicativo Saúde Já Curitiba (pelo smartphone, ou pelo site);
2)    Clicar no campo “Mensagens” (lado esquerdo da tela, com o ícone no formato de envelope, logo abaixo dos dados cadastrais do titular);
3)    A tela seguinte vai mostrar a caixa de entrada de “Vacinas”;
4)    Se tiver uma mensagem com o título “Dose de reforço vacina contra Covid” clique em cima e irá aparecer a mensagem com o nome do convocado, data da vacinação e orientações. 

A SMS está enviando as mensagens para novos grupos convocados para a antecipação da dose de reforço, readequando gradativamente para chegar ao prazo recomendado pelo Ministério da Saúde (120 dias), e orienta para que a população fique atenta ao aplicativo Saúde Já.

Antes de procurar uma unidade de saúde, o usuário deve conferir quais locais farão a aplicação no site Imuniza Já, visto que alterações desses pontos são feitas de acordo com o público estimado para receber vacina a cada dia. Não é necessário apresentar a mensagem recebida no aplicativo para ser vacinado, desde que esteja dentro do período convocado.

Perdeu a data?

Não tem problema, a SMS tem mantido a repescagem contínua para a aplicação da vacina contra a covid-19, a estratégia é para oportunizar que todos completem o ciclo vacinal.