Anvisa autoriza importação de matéria-prima para produção de vacina pelo Butantan

De acordo com a agência, a autorização ocorre em caráter excepcional, já que a vacina ainda está na última fase de estudos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou nesta quarta-feira (28) a importação, em caráter excepcional, de matéria-prima que deverá ser usada na produção de vacinas contra Covid-19 pelo Instituto Butantan.

O produto será importado da empresa chinesa Sinovac, que mantém uma parceria com Butantan para desenvolvimento e produção da vacina. A decisão ocorre após críticas do instituto sobre a demora da agência em autorizar o pedido, que havia sido feito pelo instituto em 23 de setembro.

Nesta quarta (28), em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que a demora na liberação provocaria um atraso no cronograma de produção da vacina, a qual deveria ter sido iniciada na segunda quinzena de outubro.

“A nossa previsão era para iniciar a produção da vacina no Butantan na segunda quinzena de outubro. Para tanto, foi solicitado à Anvisa, no dia 23 de setembro, a autorização para a importação da matéria-prima da China”, disse Dimas Covas no início da tarde desta quarta.

“Esse atraso, na emissão da autorização, pode ter efeito na produção da vacina. Cada dia que aguardamos a autorização significa um dia a menos de vacina. Nós estamos tendo elevado número de óbitos no Brasil todo dia. Tem a necessidade da urgência. Esperamos que a Anvisa se pronuncie o mais rapidamente possível autorizando para que essa matéria-prima seja liberada.”

Inicialmente programada para o dia 4 de novembro, a decisão da Anvisa foi tomada por meio de um novo procedimento, chamado de circuito deliberativo. De acordo com a agência, a autorização ocorre em caráter excepcional, já que a vacina ainda está na última fase de estudos.

O uso do produto, entretanto, ficará condicionado à aprovação de registro na agência. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem enfatizado que um compromisso de compra da vacina do Butantan pelo governo federal depende do aval da Anvisa, que por sua vez também é condição para a produção.

Na decisão desta quarta, a agência diz que o instituto “deverá manter o produto em suas instalações, e em perfeitas condições de acondicionamento, até que possa ser utilizado ou destruído” – o que dependerá do registro na agência.

Em nota, a agência lembra que os estudos “ainda estão em andamento e não existe previsão de data para a vacinação”.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com um a menos, Flamengo segura empate com o Racing


O Flamengo foi, nesta terça (24), ao estádio Presidente Perón para enfrentar o Racing (Argentina) na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. O objetivo era a vitória, mas o empate em 1 a 1 acabou sendo um bom resultado pelas circunstâncias, em especial a expulsão do zagueiro Thuler.

Gols no primeiro tempo

O jogo começou sob chuva intensa, que não atrapalhou em nada o confronto, realizado no ótimo gramado do El Cilindro de Avellaneda. Nos primeiros minutos o time argentino se postou de forma adiantada, pressionando a saída de bola da equipe brasileira.

E essa pressão dá resultado aos 12 minutos, quando Fabricio Domínguez domina a bola no meio campo e arranca pela direita. O lateral direito chega à linha de fundo e cruza rasteiro para Fértoli, que escora para vencer o goleiro Diego Alves.

O Flamengo nem dá tempo de o Racing se acostumar com a vantagem, e empata dois minutos depois. Bruno Henrique recebe lançamento na ponta esquerda, se livra da marcação e cruza, de três dedos, para Gabriel deixar tudo igual.

Aos 33 minutos o time brasileiro ficou muito perto da virada, quando Bruno Henrique recebe novamente na esquerda, corta o marcador, mas, ao invés de tocar novamente para o camisa 9, bate com categoria. Mas a bola, por capricho, explode no travessão. Grande lance do atacante. Assim, a igualdade permanece até o intervalo.

Expulsão de Thuler

Quem inicia melhor a etapa final é o Racing, que aos 4 minutos chega a balançar a rede da meta defendida por Diego Alves, mas o gol é anulado por falta no decorrer da jogada.

Aos 11 minutos Gabriel deixa o gramado para entrada de Vitinho. Quatro minutos depois o camisa 11 faz um lindo lance, quando, após receber lançamento, dá um balão em um zagueiro e toca para Arrascaeta marcar. Porém, o lance é anulado pelo árbitro, que assinala impedimento do atacante do Rubro-Negro.

A partir daí o Flamengo começa a valorizar a posse de bola, aumentando seu volume de jogo. E aos 27 minutos o time da Gávea chega novamente com perigo, quando, após boa troca de passes, Filipe Luís recebe na esquerda e cruza para Everton Ribeiro chegar cabeceando.

Três minutos depois a equipe brasileira cria chance clara, quando Vitinho toca para Arrascaeta, que devolve para o camisa 11 chutar, mas a bola vai para fora.

Aos 36 minutos a situação do Flamengo muda completamente, quando o zagueiro Thuler é expulso ao receber cartão vermelho direto após entrar de carrinho em um jogador do Racing. A marcação foi confimada com auxílio do VAR (árbitro de vídeo).

Com um homem a mais, o Racing cresce na partida, mas não consegue transformar a maior posse de bola em oportunidades claras. Assim, o empate perdura até o apito final do árbitro.

Jogo de volta

Agora, a vaga para as quartas de final será definida na próxima terça-feira (1), quando o Flamengo recebe o Racing no estádio do Maracanã.

Veja a tabela atualizada da Copa Libertadores.


Eduardo Matysiak, fotojornalista paranaense, ganha o “oscar da fotografia”

fotojornalista Eduardo Matysiak foi o vencedor da categoria especial ‘Lockdown’, do Brasília Photo Show, neste domingo (22). O paranaense levou a estatueta do maior festival de fotografia da América Latina com a imagem ‘fique em casa’.

Natural de Guarapuava, no centro-oeste do estado, e atualmente morando na capital, Matysiak acredita que sua fotografia ganhou o primeiro lugar porque é uma imagem de certa forma chocante e que faz as pessoas refletirem.

“Primeiro, não é uma fotografia montada, é um retrato da vida real, da vida de uma pessoa que não tem casa e vive na rua. O que já é absurdo em qualquer época, mas o fato da foto ter sido tirada durante a fase mais intensa de isolamento no Paraná, quando quase todas as pessoas estavam em casa isoladas e protegidas da covid-19, torna a situação ainda mais cruel. Acho que esse tipo de abordagem é importante porque faz as pessoas se questionarem sobre o mundo que elas querem e sobre o que fazer para mudar”, diz o fotojornalista.

Apelidado de o ”Oscar da Fotografia”, a 6 ª edição do evento ocorreu neste final de semana entre os dias 21 e 22 de novembro e contou com 46 mil fotos participantes, entre fotógrafos brasileiros e estrangeiros.

Matysiak ficou conhecido com sua cobertura fotográfica da Operação Lava Jato em Curitiba. Como poucos, ele registrou o dia a dia dos movimentos de direita e esquerda que permaneceram acampados em frente à sede da Polícia Federal.

Para ver todas as fotos do Eduardo que concorreram no festival ‘Brasília Photo Show’ e conhecer um pouco mais da história do fotojornalista clique aqui.

Via RICMAIS