45 curiosidades sobre Curitiba

1. O nome Curitiba é indígena, “kur yt iwa” (lugar cheio de pinheiros). Por isso as araucárias são sagradas, uma pessoa uma vez arrancou uma mas ninguém sabe o paradeiro dela mais.

2. Temos 75 bairros, tudo lindo, um ou outro que destoa.

3. Os bairros Hauer e Fanny têm estes nomes em homenagem ao imigrante alemão Roberto Hauer e sua esposa, que eram donos do Rio Belém até o novo Mundo. Com o falecimento deles, um dos “terrenos” recebeu o nome de Hauer e o outro de Fanny.

4. O bairro Pinheirinho já foi chamado de “Capão dos Porcos” devido às fazendas de gado que tinham lá. Mudaram o nome depois por motivos óbvios, né?

5. O bairro Jardim Social já foi chamado de “Morro do Querosene”. Tenho até medo de saber o porquê.

6. No bairro Água Verde tinha um rio (hoje canalizado), que tinha muitas algas que lhe davam um aspecto esverdeado. Desde sempre um luxo.

7. Reza a lenda que o bairro Bacacheri leva este nome por causa de um francês que vivia ali e tinha uma vaca chamada “Chérie” (querida). Quando ele chamava a bicha, soava como “Baca chérie!”. Sacou?

8. O Batel leva este nome porque lá uma vez teria naufragado um batel (pequena embarcação). Nem me pergunte como, aliás tem treta neste lugar desde aquela época.

9. O Boqueirão era uma fazenda com muitos banhados, que tinha uma grande cova bem funda que os habitantes chamavam de “boqueirão”. A louca do boqueirão foi uma das nossas figuras mitológicas, que lascava beijo nos piás dentro do expresso e depois corria dando gargalhadas.

10. O Portão era um portão mesmo, um posto de fiscalização, numa época em que lavradores e tropeiros viviam em pé de guerra por causa do comércio de animais.

11. Antigamente as corridas de cavalos aconteciam no Prado Curitibano. Com a inauguração do hipódromo do Tarumã, as corridas passaram a acontecer lá e o local começou a ser chamado de Prado Velho, ou seja, ninguém mais dava a mínima.

12. Umbará é porque lá tinha muito barro devido ao solo argiloso. “Um bará” ou “um barro só”, tipo isso.

13. Carmo não é bairro, criatura! É praça, é terminal, é Santa mas não é bairro.

14. O 1º nome da cidade foi Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, que mudou para Corityba e depois Curitiba. Melhor né, o 1º nome parecia um biarticulado.

15. Curitiba foi capital do Brasil em 1969, mas por apenas 3 dias. Que pena, a gente teria botado estes políticos jaguara tudo pra trabalhar.

16. Avenida das Torres não existe tá anjo, se jogar no GPS a guria te xinga.

17. 29 de março é aniversário da cidade, mas não é feriado. O feriado é no dia da padroeira, 8 de setembro. Além de muito religiosos, adoramos um feriadão.

18. Somos capital ecológica do Brasil e cidade mais sustentável da América Latina. Jogue um papel de bala no chão e a gente vai te caçar seu porco.

19. Rua das Flores é o mesmo que Rua XV, mas essa rua é minha e eu chamo como quiser.

20. Champagnat é gourmetização de Bigorrilho, mas este nome ninguém merece mesmo. Ecoville é o Mossunguê purpurinado.

21. A cidade tem o 1º prédio giratório do mundo, na Ecoville, onde os apartamentos giram 360º. Não vendeu 1 única unidade porque curitibano tudo sofre de labirintite.

22. Curitiba é a 2ª cidade com o maior número de descendentes de poloneses nas Américas, perdendo apenas para Chicago. Pra onde vc olha tem um polaco do djanho.

23. Temos um bairro dedicado à culinária italiana, Santa Felicidade, que leva esse nome porque polenta frita e felicidade são praticamente a mesma coisa. É lá que fica o maior restaurante das Américas, o Madalosso, com quase 5 mil lugares.

24. Curitiba é a capital mais fria do Brasil. Faz temperatura negativa todo ano e nevou em 1975 – fez 10 metros de neve segundo a minha vó.

25. Curitiba tem o menor índice de analfabetismo entre as capitais brasileiras. Agora só falta a gente aprender a falar com estranhos.

26. Eu sei que a Rua dos Chorões é linda, mas ela só existe na sua cabeça tá?

27. Tem um homem nu imenso na Praça 19 de Dezembro. O peladão chama tanta atenção que roubou o nome da praça.

28. Museu do olho é o teu nariz. Se oriente, tongo véio.

29. O terminal do Pinheirinho fica no Capão Raso, o do Capão Raso fica no Novo Mundo, o da Sta Cândida fica no Tingui e a rua Guabirotuba não fica no Guabirotuba. Eu sei, é meio confuso, mas vc precisa se acostumar tá meu amorzinho?

30. Vc vai rodar o Cajuru até morrer e não vai achar o Hospital Cajuru.

31. Boca Maldita é o apelido de um trecho da Rua das Flores, frequentado pelos Cavaleiros da Boca Maldita, que eram na realidade um bando de aposentados fofoqueiros sem nada melhor pra fazer da vida.

32. Coritiba já foi o nome da cidade, mas hoje é o nome de um dos clubes de futebol. O time tinha tantos branquelos descendentes de alemães e poloneses que zoavam chamando o clube de “coxa-branca”. Daí pegou o apelido de Coxa.

33. Em 1980 o Papa mais fofo da história, João Paulo II, visitou Curitiba e celebrou a Santa Missa no Centro Cívico, no local hoje conhecido como Bosque do Papa.

34. O Paço da Liberdade já foi sede da Prefeitura, já foi Mercado Municipal e abrigou o primeiro elevador da cidade. Pensa num lugar badalado.

35. A construção da Ópera de Arame foi the flash, em apenas 75 dias, por isso ficou parecendo um viveiro.

36. A maior rua de Curitiba é a Avenida Marechal Floriano, com 12,5 km. Tem outra maior, com 18 km, só que a desgraça muda de nome nove vezes — começa como Eduardo Sprada, vira Nossa Senhora Aparecida, Gonçalves Dias, Avenida do Batel, Benjamin Lins, Dr Pedrosa, André de Barros, Nilo Cairo até terminar como Avenida Souza Naves.

37. A menor rua de Curitiba é a Rua Amilton Breda, no Cajuru, com 21 metros. A Avenida Luís Xavier, na Boca Maldita, é conhecida como a menor avenida do mundo, com apenas 152 metros.

38. Curitiba é a capital com maior número de bibliotecas; tem 1 pra cada 10 mil habitantes. Povo lê bastante que é pra não precisar interagir.

39. O Marco Zero de Curitiba é um monolito instalado pelo capitão Matheus Leme na fundação da cidade, em 1693, ali na Praça Tiradentes.

40. A árvore mais velha de Curitiba é uma imbuia com mais de mil anos que fica no Bosque do Capão da Imbuia. A árvore mais alta é uma paineira no Bom Retiro, com 35 metros de altura e mais de 300 anos.

41. Curitiba é a capital do cachorro-quente, com 535 carrinhos licenciados. Lembrando que é tudo pão com vina, já que salsicha não existe.

42. A linha de ônibus mais longa é o Água Verde / Abranches, com itinerário de 26,2 km. A linha mais curta é a Alferes Poli, com 11 km. Você não podia morrer sem saber disso.

43. Em 1886 foi inaugurado o Passeio Público, 1º parque de Curitiba e o único até 1972, quando surgiram os parques Barigui e São Lourenço.

44. Em 1912 foi fundada a UFPR, a universidade mais antiga do país, nosso maior xodó depois das capivaras.

45. Curitiba é conhecida como “Cidade Sorriso”, apelido dado por alguém muito sem noção. Sorriso é o cacete, nem me olhe com esta cara de carente.

Solan Valente – autor do texto

Bandeira laranja é prorrogada por mais sete dias em Curitiba

A Secretaria Municipal da Saúde decidiu nesta sexta-feira (18/9) prorrogar a vigência do Decreto 1160, que colocou Curitiba na situação de risco médio de contaminação pelo novo coronavírus. A bandeira laranja vale por mais sete dias, a partir da zero hora de segunda-feira (21/9).

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, explica que é importante aguardar o prazo de 14 dias após o último feriado, o de 7 de Setembro, para avaliar o impacto daqueles dias de folga na pandemia do novo coronavírus.

Ela lembra que quando foi anunciada a mudança da bandeira amarela para a laranja, no dia 4 de setembro, o número de casos de covid-19 estava começando a crescer novamente. “Sem essa intervenção, poderíamos ter voltado para uma situação semelhante à de julho, no pico da doença”, completa a secretária.

Márcia também pediu a colaboração de todos para que os indicadores melhorem e que, na próxima semana, seja possível voltar a adotar a bandeira amarela.

Relembre abaixo as medidas que visam a retomada do controle da disseminação do novo coronavírus na cidade. O não cumprimento das medidas pode acarretar sanções administrativas e multas que variam de R$ 232,92 a R$ 8.336,08.

Atividades suspensas

– Atividades de entretenimento com ou sem música (casas de show, festas, teatros, circo e atividades correlatas), eventuais ou periódicas, bem como estabelecimentos destinados eventos sociais e atividades correlatas, além dos voltados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções e outros.
– Bares e atividades correlatas.

Funcionamento com restrições

– Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais podem abrir de segunda a sábado, das 10h às 20 horas. Aos domingos, apenas delivery.
– Shopping centers podem abrir de segunda a sábado, das 12h às 22 horas. Aos domingos, apenas delivery.
– Restaurantes e lanchonetes podem abrir de segunda a sábado, até 23 horas. Após esse horário e aos domingos, apenas delivery e drive-thru.
– Mercados, supermercados e hipermercados: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, não podem funcionar em nenhuma modalidade de atendimento.
– Panificadoras podem abrir de segunda a sábado, até 23 horas, e domingos, das 6h às 18h, mas é proibido o consumo no local.
– Feiras livres e de artesanato podem funcionar de segunda a sábado.
– Prestação de serviços não essenciais (como salões de beleza, barbearias, academias de ginástica e banho, tosa e estética de animais) não têm restrição de horário, mas não podem abrir aos domingos.
– Comércio de produtos e alimentos para animais: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, sendo no domingo permitido atendimento de delivery e drive-thru;
– Comércio varejista de hortifrutis, quitandas, mercearias, distribuidoras de bebidas, peixarias e açougues: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, com proibição de funcionamento aos domingos;
– Lojas de material de construção (serviço essencial): funcionamento de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, podem funcionar nas modalidades delivery e drive-thru;
– Concessionárias de veículos em geral: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, com proibição de funcionamento aos domingos;
– O funcionamento dos parques e praças fica condicionado ao cumprimento de protocolo específico, conforme determinado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Nos parques abertos, fica permitida exclusivamente a prática de atividades físicas individuais, com uso de máscaras. Os parques que estão abertos são: Tingui, Barigui, Barreirinha, Tropeiros, Guairacá, Mairi, Cambuí, Mané Guarrincha, Yberê, Lago Azul, Atuba, Passaúna, Tanguá, Bacacheri, São Lourenço e Náutico.

Devem operar com no máximo de 50% de sua capacidade

– Hotéis, resorts, pousadas e hostels;
– Callcenter e telemarketing: a partir das 9h (exceto os vinculados a serviços de saúde ou home-office, que podem funcionar com capacidade normal);

Curitiba tem 405 novos casos e 13 mortes por covid-19

O boletim divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) nesta quinta-feira (17/9) registou 405 novos casos de covid-19 e 13 óbitos de moradores de Curitiba pela infecção causada pelo novo coronavírus.

As novas vítimas são quatro homens e nove mulheres, com idades entre 55 e 94 anos. Dos novos óbitos 12 ocorreram nas últimas 48 horas e um aconteceu no dia 13 de setembro.

Todas as novas vítimas tinham fator de risco para as complicações da covid-19 e estavam internadas.

Até agora são 1.169 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia. 

Novos casos

Com os novos casos confirmados, 40.036 moradores de Curitiba testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia – 34.199 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença.

São 4.668 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

UTIs do SUS

Nesta quarta-feira (17/9), a taxa de ocupação dos 334 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 é de 83%. Todos os pacientes que são internados com quadro de síndrome respiratória aguda grave vão para os leitos exclusivos covid-19 e não apenas os casos confirmados da doença. Há 57 leitos livres.

Números da covid-19 em 17 de setembro

405 novos casos
13 novos óbitos

Números totais

Confirmados – 40.036 
Investigação: 643
Recuperados – 34.199
Óbitos – 1.169